“Aquele monstro não foi trazido para Petrolina”, desabafa mãe de Alisson Dantas sobre audiência do caso

2

Ana Cláudia Dantas, mãe de Alisson Dantas, que morreu após ser atingido com golpes de facão, no Bairro Quati em Petrolina fez um desabafo ao Blog.

Em contato com a nossa equipe, ela diz não saber detalhes da audiência sobre o caso que ocorrerá nesta quarta-feira (19), no Fórum de Petrolina sem a presença de Reziélio Alves de Almeida acusado praticar o crime no ano de 2015.

“Uma coisa eu tenho certeza, aquele monstro não foi trazido para Petrolina. Não sei como vai ter uma audiência sem esse assassino comparecer, a única ajuda que eu tenho é da imprensa, pois minha dor só aumenta”, desabafou.

Relembre o caso 

Tudo aconteceu porque Alisson vinha passando pela Avenida 1 do Bairro Quati, onde morava e recebeu uma mensagem do aplicativo Whatsapp e resolveu sentar em uma calçada para responder a notificação. O autor Reziélio Alves achou que o jovem estava aproveitando gratuitamente o wi-fi de sua casa e resolveu lhe dar vários golpes de facão.

Na época o jovem chegou a ser socorrido pelo SAMU, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e veio a óbito em uma unidade hospitalar do município.

A Juíza de Direito Dra. Elane Brandão Ribeiro, da Vara do Tribunal do Júri de Petrolina, esclareceu os rumos que poderá ter o caso.

“Foi feito um pedido, através da delegacia de capturas para que esse “recambiamento”, do cumprimento da pena em Petrolina seja mais célere. Apenas no dia 17 de setembro recebemos uma comunicação do Subchefe da Delegacia da Polícia Civil de Pernambuco, Neemias Falcão, alegando a impossibilidade de realizar esse deslocamento pela falta de recursos financeiros”, explicou.

A Juíza disse ainda que foi solicitado, após análise da delegacia de capturas, o “recambiamento” de Reziélio Alves de Almeida, através da Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco (Seres/PE) para a cidade de Petrolina, mas até o momento o acusado permanece na cidade Ponta Grossa, no Estado do Paraná.

O crime chocou a sociedade petrolinenses pela crueldade e o motivo fútil pelo qual o jovem foi assassinado.

2 Comentários

  1. NAIR NUNES DOS SANTOS

    19 de dezembro de 2018 em 11:51

    Bom dia, eu Nair Nunes tia de Alison Dantas Nunes, 3 anos de puro descaso até hoje não temos resposta sobre a transferência do assassino Resielio um mostro que tirou brutalmente a vida do meu sobrinho. )’:

    Responder

  2. Janaína Barbosa dos Santos

    19 de dezembro de 2018 em 11:54

    Sou Janaína Barbosa, prima de Alison Dantas, tô muito triste com o discaso do caso Alison Dantas,

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Polícia Militar prende homem suspeito de posse de drogas no bairro João de Deus

A polícia militar prendeu, neste sábado (16), um homem suspeito de posse de drogas no bair…