PRF cria comissão para investigar caso da câmara de gás em Sergipe

A Polícia Rodoviária Federal instalou uma comissão interventora na superintendência regional do órgão em Sergipe para investigar a morte de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, asfixiado no porta-malas de uma viatura da corporação, em Umbaúba (SE).

Segundo a Folha de S.Paulo, a comissão é formada por agentes da PRF, de Brasília, enviados a Sergipe no último fim de semana. Além disso, um outro grupo, com servidores de outros estados, deve ficar responsável por acompanhar o processo administrativo disciplinar pelo qual três policiais envolvidos no caso respondem.

Na segunda-feira (30), o Ministério Público Federal (MPF) cobrou o retorno das comissões de Direitos Humanos na PRF. Além disso, a corporação deverá restabelecer o ensino de Direitos Humanos como disciplina autônoma nos cursos de formação e reciclagem de policiais rodoviários federais.

Para os procuradores da República Mariane Guimarães de Mello Oliveira e Marcello Santiago Wolff, que assinam a recomendação, tais fatos demonstram “a necessidade de se investir em treinamentos constantes em direitos humanos”.

Em abril, houve a completa exclusão da disciplina Direitos Humanos da grade curricular do Curso de Formação da PRF, que também extinguiu as comissões de Direitos Humanos no âmbito da instituição.

A PRF tem o prazo de 15 dias para informar ao MPF as medidas adotadas para o cumprimento da recomendação ou as razões para o seu não acatamento.  (Metrópoles)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Mais de 20 mil criadores rurais de Petrolina podem receber palhada de cana-de-açúcar como ração animal

Em setembro de 2021 foi firmado o Termo de Parceria Ambiental com a empresa Agrovale para …