Petrolina (PE): Mulher denuncia Samu por omissão de socorro

2

Após testemunhar a omissão de socorro sofrida durante várias ligações para o Samu, a autônoma Kalila Souza Pereira, 29 anos, desacreditou que o objetivo deste serviço seja “Chegar precocemente à vítima após ter ocorrido alguma situação de urgência ou emergência (…) que possa levar a sofrimento, a sequelas ou mesmo a morte”, como consta nas atribuições do ofício.

Kalila entrou em contato com o Blog para relatar um fato que ocorreu no dia 15 de março deste ano, em sua residência, no bairro Ouro Preto em Petrolina (PE).

De acordo com a mulher, por volta das 17h45 de sexta-feira (15), se encontrava na companhia de sua filha (9), observando o preparo da chuva, quando foram surpreendidas com o estrondo de um relâmpago. A autônoma relata que, após ouvirem o barulho, ambas correram no instinto de proteção – a garota conseguiu prosseguir, entretanto a mulher sofreu uma queda da própria altura que ocasionou uma luxação fechada no joelho direito.

Após inúmeras tentativas de ligações feitas por familiares para o Samu, a mãe de Kalila fez um questionamento para uma atendente na esperança de uma resposta positiva, entretanto, o que ela ouviu pelo telefone não foi nada parecido “E se ela morrer?” perguntou “Se ela morrer, morreu!” respondeu a atendente.

Indignada, a família recorreu então ao Corpo de Bombeiros para que fosse prestado o socorro à mulher e, apesar dos familiares serem informados que essa obrigação era do Samu, uma equipe se dirigiu até a casa da acidentada para socorrê-la “Veio três anjos que imobilizaram minha perna e, por conta do Samu fiquei por volta de uma hora e meia no chão” relata.

A equipe encaminhou Kalila até o Hospital Universitário – Univasf, onde foi conduzida imediatamente para o bloco cirúrgico. A paciente que ficou internada durante seis dias, recebeu o diagnóstico do acidente doméstico que contatou uma lesão vascular e, posteriormente o desenvolvimento de uma trombose de safena na veia magna. A mulher se recupera com fixadores externos na perna.

“Hoje eu poderia não está contando esse ocorrido. Por falta de socorro imediato podemos perder a vida … Queria deixar minha indignação contra o Samu para que não ocorra com demais pessoas” desabafa.

2 Comentários

  1. carlos amorim

    26 de março de 2019 em 22:56

    FICO TRISTE EM VER QUE A SAMU DE PETROLINA ESTÁ FALIDA, ISSO OCORREU COMIGO, JÁ LIGUEI PRECISANDO DO SERVIÇO DA SAMU, E NO ENTANTO ELES NÃO TEM ESTRUTURA PARA ATENDER, AS AMBULANCIAS VIVEM PARADAS SEM MACA, É UM TERROR, O SERVIÇO É FRACO.

    Responder

  2. […] A autônoma Kalila Souza Pereira, 31 anos, moradora do bairro Ouro Preto em Petrolina (PE) pede ajuda financeira da população para custear uma cirurgia  de reconstrução ligamentar na perna direita. Ela sofreu uma queda da própria altura em  março de 2019, ficou internada durante seis dias e recebeu o diagnóstico do acidente doméstico que contatou uma lesão vascular e, posteriormente o desenvolvimento de uma trombose de safena na veia magna. A autônoma precisou se recuperar com fixadores externos na perna. (relembre aqui). […]

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Pernambuco: Aos 104 anos, idoso se recupera da Covid-19 e deixa hospital sob aplausos

Um idoso de 104 anos que contraiu a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, se t…