Petrolina (PE): Em investigação Policial, detenta desmente denúncia de supostos maus-tratos na Penitenciária Feminina e inocenta agentes

Em atenção ao compromisso de ética e responsabilidade jornalística que sempre pautou sua atuação, o Blog Edenevaldo Alves vem atualizar seus leitores sobre os desdobramentos e o seguimento da apuração da matéria intitulada “Urgente: Detentas denunciam administração e agentes penitenciários da Cadeia Pública de Petrolina por abuso de autoridade e atrocidade contra elas”, publicada originalmente em 08/07/2020.

A matéria citada publicou uma denúncia encaminhada ao editorial deste blog, a qual expôs supostos casos de maus-tratos físicos e psicológicos sofridos por internas do sistema prisional feminino de Petrolina-PE, além de abuso de autoridade e má qualidade da alimentação naquela unidade. A denúncia implicou nominalmente os agentes de segurança Maria Aparecida da Costa Barroso de Oliveira e Maycon Félix Lopes do Vale, além da diretora Paula Oliveira Freire, que foram procurados pelo blog antes da publicação da matéria, mas não quiseram se manifestar sobre as acusações.

No mesmo dia da veiculação da denúncia, porém, os três servidores citados registraram boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia da 214ª Circunscrição de Petrolina-PE e solicitaram a apuração do fato. Assim, a Polícia Civil colheu o depoimento de uma das detentas citadas como vítima das supostas agressões e o Instituto de Medicinal Legal realizou perícia traumatológica.

De acordo com os documentos obtidos por este blog, a detenta ouvida afirma que não sofreu nenhum tipo de agressão física ou verbal na penitenciária feminina e isenta os agentes e a diretora citados de qualquer responsabilidade, bem como afirma que não fez qualquer denúncia neste sentido e não sabe informar quem o teria feito utilizando o seu nome. O laudo médico produzido pelo IML, por sua vez, registra a “ausência de lesão externa aparente ao momento do exame pericial” e conclui que não foram constatadas “lesões corporais recentes de interesse médico legal”.

Quanto à denúncia de má qualidade da alimentação servida às detentas, a unidade prisional foi submetida a uma inspeção técnica conduzida por nutricionista da CEASA Pernambuco, cujo relatório descartou qualquer irregularidade no cardápio, na cozinha ou no armazenamento dos alimentos da penitenciária feminina de Petrolina.

Com a publicação destas novas informações e o esclarecimento dos fatos, o Blog Edenevaldo Alves reafirma seu comprometimento com o jornalismo investigativo isento, ético e responsável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Máquina do Tempo: “Uma viagem ao passado através da música”