Pernambuco: 250 mil trabalhadores precisam de qualificação até 2025, aponta levantamento

Com a constante chegada de novas tecnologias, crescem os motivos para o Brasil investir em aperfeiçoamento para os seus profissionais, chegando a uma demanda de 9,6 milhões de trabalhadores que necessitam dessa requalificação. Em Pernambuco os dados apontam para 250 mil.

Apesar do alto número, somente 54 mil precisam da formação inicial (para repor inativos e preencher novas vagas). 196 mil são trabalhadores que precisam se atualizar.

Essa atualização é necessária em todas as áreas, mas segundo o Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025, estudo realizado pelo Observatório Nacional da Indústria, as principais são: Transversais, Metalmecânica, Logística e Transporte, Construção e Alimentos e Bebidas. As ocupações transversais são aquelas que permitem ao profissional atuar em diferentes áreas, como técnico em Segurança do Trabalho, técnico de Apoio em Pesquisa e Desenvolvimento e profissionais da Metrologia, por exemplo.

O mercado formal de trabalho sofreu mudanças consideráveis durante o período de pandemia, e por tal motivo Rafael Lucchesi, diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), reconhece que sua recuperação pode sofrer certa lentidão, mas que é indispensável priorizar o aperfeiçoamento de quem está empregado e de quem busca novas oportunidades.

“Estamos diante de um cenário de baixo crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), reformas estruturais paradas, como a tributária, eleições e altos índices de desemprego e informalidade. Nesse contexto, o Mapa surge para que possamos entender as transformações do mercado de trabalho e incentivar as pessoas a buscarem qualificação onde haverá emprego. E essa qualificação será recorrente ao longo da trajetória profissional. Quem parar de estudar, vai ficar para trás”, avalia.

Segundo dados do site Perfil da Indústria, Pernambuco se encontra em 10º lugar no ranking de estados com maior número de estabelecimentos industriais. Em 2020 existiam cerca de 12.497 empresas no estado, 2,7% do total de empresas que atuam no setor industrial do Brasil.

Em relação aos principais setores, são eles: construção (19,5%), serviços industriais de utilidade pública (16,7%), alimentos (13,4%), veículos automotores (11,1%) e derivados de petróleo e biocombustíveis (10%). Juntos, esses setores representam 70,7% da indústria do estado. (Folha PE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Conselho determina interdição ética do serviço de enfermagem do Hospital da Restauração em Recife (PE)

O Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) determinou, nesta quarta-feira …