MPF quer saber por que hospital não interrompeu gravidez em criança vítima de estupro

0

O Ministério Público Federal (MPF) quer saber por que o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), localizado em Vitória (ES), se negou a realizar o procedimento de interrupção de gravidez no caso da criança de dez anos, vítima de estupro ocorrido em São Mateus (ES), mesmo após decisão judicial. A informação é da assessoria de imprensa do MPF.

Moradora de Vitória, a menina passou pelo procedimento no Recife, na Maternidada de Encruzilhada. No local, houve protestos de grupos contrários à interrupção

Em ofício enviado à superintendente do hospital, Rita Elizabeth Checon de Freitas Silva, e ao reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Paulo Sérgio de Paula Vargas, a procuradora regional dos Direitos do Cidadão, Elisandra de Oliveira Olímpio, também pergunta se o Hucam realiza procedimento de interrupção de gravidez conforme determina a Portaria GM/MS nº 1.508/2005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Dengue pode fornecer anticorpos contra Covid-19, aponta pesquisa brasileira

Em um estudo que buscou identificar as características da propagação do novo coronavírus n…