Juazeiro (BA): Estudante afirma que foi estuprada por um amigo que estava tentando se reaproximar: “foi premeditado”

Uma estudante identificada como Vitória Barbosa Brito, de 20 anos, relata que foi estuprada na noite da última sexta-feira (04),  em Juazeiro (BA). O suspeito é um amigo que havia estudado com ela há três anos e tentava se reaproximar. A vítima registrou boletim de ocorrência na delegacia de plantão no sábado (05), e ontem (08) compareceu  na  Delegacia Especial de Atendimento a Mulher em Juazeiro (DEAM) para registrar novamente o B.O.

Vitória diz que havia perdido o contato com o acusado, que terá o nome preservado,  mas que ele conseguiu o número dela e mandava mensagens de texto frequentemente. “Ele estava me estudando”, lamentou. A vítima diz que o crime foi premeditado pelo suposto amigo e que  caiu  na “emboscada” após o acusado convidar ela e outra amiga para irem  visitar a filha recém-nascida dele.

A visita

A estudante afirma que no dia da visita o acusado atrasou no horário marcado,  mas que  foi buscá-la em casa, em Petrolina (PE). Depois eles parariam no centro de Juazeiro (BA), onde a amiga estava esperando para ir também. Vitória afirma que se tudo ocorresse conforme combinado, ela desceria da motocicleta no centro da cidade baiana e  seguiria andando juntamente com a amiga para a casa onde a bebê estava. O amigo, por sua vez,  iria de moto na frente.

Destino 

No entanto o acusado seguiu direto pela Ponte Presidente Dutra, tomou destino  sentido bairro Itaberaba e só foi parar a moto  num trecho da estrada que vai dar na Agrovale, em Juazeiro (BA).  De acordo com depoimento da vítima e termo de declaração emitido pela DEAM, Vitória questionava bastante para onde ele estava indo e começou a ficar agitada. O acusado então parou o veículo no  acostamento da estrada  e a vítima ainda tentou correr, mas foi contida por trás pelo suposto amigo.

Estupro

No local o acusado disse que era um sequestro e afirmou  que “já tinha dito que um dia ia sequestrar ela para ele”. De acordo com o termo de declaração,  o suspeito  arrastou  a vítima para dentro do matagal, a deixou no chão, rasgou as mangas de seu vestido, tirou as  sandálias  dela e vendou os olhos da estudante com “alguma coisa preta”. O acusado que estava uma faca na cintura, conforme relata a Vitória, começou a passar as mãos no corpo,  seios e pernas da vítima.

Cafofo

De acordo com relato da estudante,  que gritava por socorro, o acusado resolveu sair da estrada para não chamar atenção. Ele, então, a obrigou a subir na moto, colocar o capacete, fechar a viseira e segurar na cintura dele. O acusado teria dito que estaria levando-a para o “cafofo” dele.

Fuga

Mesmo vendada e estando sob ameaça de morte, a estudante percebeu que estava passando por um local movimentado e com barulho de carros. Foi aí que ela começou a se desequilibrar na moto para o acusado perder velocidade, e em seguida decidiu pular do veículo em movimento.

Ajuda

 A estudante relata que os dois caíram no chão. Após ela tirar o capacete e a faixa dos olhos, notou que se tratava da rotatória do Mercado do Produtor, trecho de intenso movimento de trânsito. De acordo com a vítima, o acusado ainda tentou arrastá-la pelo braço, porém foi interrompido após um mototaxista que estava passando pelo local juntamente com um passageiro conter a ação. O motorista de uma van também ajudou a vítima, e a deixou no Complexo Policial. O acusado,  segundo depoimento da vítima, ainda chegou a apontar a faca para intimidar o mototaxista,  e evadiu-se em seguida.

Hospital

Em virtude dos ferimentos provocados pela queda, Vitória  foi encaminhada para ser atendida primeiro no Hospital Universitário (HU) em Petrolina (PE), e afirmou que por causa da situação está tomando antidepressivos. A vítima disse também que saiu da delegacia da mulher arrasada, pois ouviu que a unidade estava com  “outras prioridades”. A estudante relatou o caso em suas redes sociais.

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Pesquisa revela que cerca de 4 milhões de pessoas abandonaram os estudos no País durante a pandemia

Em 2020, ano marcado pelo novo coronavírus, quarentena e interrupção de aulas presenciais,…