João de Deus presta depoimento no MP de Goiás por suspeita de abusos sexuais

0

Suspeito de abusos sexuais, João de Deus prestou depoimento, nesta quarta-feira (26), na sede do Ministério Público de Goiás, em Goiânia. Os promotores precisavam ouvi-lo para concluir a primeira denúncia contra o médium e encaminhá-la para o Poder Judiciário. Isso precisa ser feito, no máximo, em até quatro dias, devido ao prazo legal. O médium nega ter cometido crimes durante atendimentos espirituais em Abadiânia.

João de Deus chegou por volta das 10h ao MP-GO, após deixar o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, sob forte escolta. No local, os agentes se posicionaram de forma com que não fosse possível filmar o momento em que o investigado desceu do carro e entrou no prédio.

Entenda os rumos da investigação
Os promotores iniciaram uma força-tarefa para apurar as denúncias contra o médium após relatos de mulheres virem à tona no programa Conversa com Bial, no início de dezembro. Até a manhã desta quarta-feira, o MP-GO recebeu quase 600 denúncias, por e-mail, contra o médium.

Do total de relatos, a força-tarefa colheu 77 depoimentos de mulheres. Outra pessoa deve ser ouvida nesta tarde.

A mulher de João de Deus, Ana Keyla Teixeira, deve ser ouvida pela Polícia Civil nesta quarta-feira (26). Assim como o MP-GO, a corporação montou uma força-tarefa para apurar os crimes. Os policiais receberam 16 denúncias, sendo que nove viraram inquéritos.

Um dos procedimentos já foi concluído e indiciou o médium por violação sexual mediante fraude. Conforme a investigação, o caso aconteceu em 24 de setembro e se trata do registro mais recente contra João de Deus.

Os promotores vão juntar o inquérito que a Polícia Civil concluiu com outros três relatos que recebeu para oferecer a primeira denúncia contra o médium. O documento precisa ser entregue ao Poder Judiciário até domingo (30), que é o prazo legal. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Aqui cada leitor vira um repórter