Ex-servidores da União em Pernambuco são alvos de operação da PF por corrupção

A Polícia Federal, através da Delegacia de Repressão à Corrupção em Pernambuco, deflagrou na terça-feira (27), uma ação policial denominada “Operação Recovery”, com objetivo de recuperar prejuízos causados pela prática de corrupção passiva por ex-servidores da Secretaria de Patrimônio da União em Pernambuco.

Segundo as investigações, os alvos da ação são acusados de receberam propinas para promoverem a rápida tramitação de um processo de remembramento de terrenos no interesse de uma empresa estrangeira que tem filial em Pernambuco. Representantes dessa empresa pagaram vantagens em dinheiro a esses indivíduos através de transferências bancárias realizadas por intermédio de conta aberta em nome de uma empresa fantasma.

O objetivo da operação desencadeada é o cumprimento de três mandados de Busca e Apreensão, objetivando recuperar os valores recebidos ilicitamente pelos ex-servidores, que, atualizados, chegam a quase R$ 250 mil. Nesta sentido, foi determinado o sequestro de três veículos, dois deles apreendidos na terça pela PF.

A ação tem respaldo legal no pacote anti-crime, que além de autorizar o decreto do sequestro de bens para reparação de prejuízos causados por práticas criminosas, prevê que esses bens podem, mediante autorização da justiça, ser utilizados por órgãos públicos da área de segurança ou leiloados, sendo o produto da venda destinado à União.

Todos os envolvidos foram denunciados pelo Ministério Público Federal pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, podendo ser condenados a penas que podem chegar a 22 anos de reclusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Levantamento do TCE mostra falta de transparência na vacinação da covid-19 em Pernambuco

O Tribunal de Contas realizou um levantamento para saber como anda a transparência da vaci…