Cesta Básica: Pesquisa da Facape aponta café como vilão nos preços dos alimentos em 2021

A pesquisa mensal do custo da cesta básica realizada pela Faculdade de Petrolina – Facape, através do Colegiado de Economia, constatou que o café nosso de cada dia, acumula a maior alta entre todos os produtos.

“Isso se deu devido a baixa oferta do produto por causa da geada que ocorreu no final de julho, somado com a crise hídrica que causou problemas na oferta nacional e como os preços internacionais estão elevados, os preços acabaram subindo bastante,” explicou o Coordenador da Pesquisa da Cesta básica, João Ricardo Lima.

Durante o mês de outubro, a pesquisa indicou aumento de 5,41% no custo da cesta em Juazeiro e de 1,68% em Petrolina.Os resultados mostram que na cidade baiana, a cesta custa R$ 444,02 e em Petrolina, R$ 472,60. Considerando os últimos 12 meses, em Juazeiro os alimentos acumulam alta de 15,94%, e em Petrolina, o acumulado é de 14,92%. Nas duas cidades, nos últimos 12 meses os vilões de aumento foram carne, arroz, farinha, banana, óleo de soja, feijão, leite e açúcar.

Outro produto que se destaca com seu aumento é o tomate, como resultado de um clima desfavorável para uma maturação mais rápida que fez cair a oferta e explica o aumento dos preços.
“O boletim é uma contribuição da Facape para a região, onde pode ser encontrado um conjunto de informações locais sobre uma variável econômica muito importante, que é preços dos alimentos que compõe a cesta básica. Estas informações ajudam as famílias a entenderem a realidade atual que vivemos e auxiliam a mostrar que existem alternativas para gastar menos, devido a grande variação dos preços,” frisou João Ricardo Lima. (ascom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Juazeiro (BA): APLB Sindicato exige da SEDUC celeridade no cumprimento de direitos garantidos aos trabalhadores em educação 

A APLB Sindicato emitiu nota para cobrar da Secretaria de Educação de Juazeiro (BA) celeri…