Casos de varíola dos macacos estão sendo monitorados em Pernambuco

Após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar, no último sábado (23), que a varíola dos macacos (Monkeypox) configura emergência de saúde pública de interesse internacional, as atenções se voltam para como os países vão enfrentar e conter o avanço da doença.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), o Brasil articula junto à OMS a aquisição da vacina contra a doença. As negociações estão sendo realizadas de forma global com o fabricante a fim de ampliar o acesso ao imunizante pelos países onde há casos confirmados da doença. A vacina, a priori, seria aplicada em pessoas que tiveram contato com casos suspeitos e em profissionais de saúde com alto risco ocupacional diante da exposição ao vírus, seguindo, assim, a atual recomendação da OMS para países não endêmicos.

De acordo com o MS, há, até o momento, 696 casos confirmados de varíola dos macacos no Brasil, sendo a maior concentração em São Paulo, com 506 pessoas infectadas. Em Pernambuco, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), até o fechamento dessa edição, há 11 notificações, sendo três casos confirmados e oito em investigação.

Em nota à imprensa, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que “acompanha atentamente as discussões científicas sobre a transmissão e o tratamento de casos da Monkeypox, como também os informes repassados pelo Ministério da Saúde (MS) e Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto à circulação do vírus no país e no mundo. A pasta destaca ainda que a vigilância epidemiológica estadual emitiu nota técnica, em junho, para os serviços de saúde das redes pública e privada sobre as diretrizes a serem adotadas para vigilância, acompanhamento e manejo clínico dos casos suspeitos e confirmados da doença no território. A nota está disponível no site do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (Cievs-PE).

O decreto de emergência da OMS ainda não estabeleceu fatores que levassem à necessidade de atualização desta nota. A SES-PE segue atenta para fazer atualizações técnicas.

Atualmente, o Estado de Pernambuco totaliza onze notificações, sendo três casos confirmados da doença e outros oito que estão sendo investigados para confirmação ou não do diagnóstico. Todos os três pacientes com confirmação laboratorial têm histórico de viagem para fora do Estado, em locais que já confirmaram transmissão autóctone da doença. Desta forma, Pernambuco ainda não registra transmissão local da Monkeypox. Dos onze casos notificados, nove estão em isolamento domiciliar e apenas dois deles está internado em unidade hospitalar privada.

Por fim, a SES-PE esclarece que quanto à aquisição de vacinas contra a doença, existem tratativas do Ministério da Saúde com a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o tema e que o Estado acompanha a possibilidade do imunobiológico ser inserido no Plano Nacional de Imunização (PNI). Porém, é importante frisar que para utilização de qualquer imunizante no país, este precisa de autorização da agência reguladora, a Anvisa.” (Folha PE)

 

Fechado para comentários

Veja também

Campanha de Poliomielite e Multivacinação começa nessa quarta-feira em Petrolina (PE)

Começa nesta quarta-feira (10), mais uma edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a…