Petrolina tem fim de semana cheio de atrações com a 8ª edição do Festival Aldeia Vale Dançar

0

danca

Com uma programação diversificada e distribuída entre o Teatro Dona Amélia, palco do Bambuzinho, no centro da cidade e o Cine-teatro do bairro Rio Corrente, prossegue neste final de semana em Petrolina, a 8ª edição do festival Aldeia Vale Dançar.

O evento, que começou na última terça-feira (21), com o seminário Pensamento de um corpo que dança e vai até o próximo dia 2 de maio, segue nesta sexta-feira (24), a partir das 16h, no Cine-teatro do bairro Rio Corrente com o Circuito Itinerante de Dança. A Cia de Dança do Sesc de Araripina – PE, vai apresentar o espetáculo Brincar, um passeio pelas descobertas e confusões do mundo lúdico das crianças. Depois, as atenções se voltam para o palco do Bambuzinho, onde o Coletivo Trippé apresenta às 18h, o espetáculo Catavento.

Logo após, ainda no Bambuzinho, o artista performer Cleybson Lima traz à cena reflexões sobre a transfobia e o travestismo com a proposta Se Quiser Pode Mudar. E para fechar a primeira sexta-feira da 8ª edição do Aldeia Vale Dançar, a Enny Produções Artísticas do Crato – CE, mostra às 20h, no Teatro Dona Amélia o espetáculo Corpo Brincante. Um trabalho que ressignifica a temática dos jogos e brincadeiras infantis, a exemplo do pega-pega, pique esconde e amarelinha.

No sábado, o evento, que é uma realização do Sesc Petrolina em parceria com a Prefeitura Municipal, através da Secretaria Executiva de Cultura e da Qualquer Um dos 2 Produções Artísticas, começa as atividades às 10h, na Sala de Teatro do Sesc Petrolina, com a Conversa sobre dança e o tema: espetáculos de dança para criança. À noite, no Teatro Dona Amélia, o Coletivo Incomum de Dança apresenta às 20h, Que Corpo é Esse? Um solo, onde a interprete criadora Carol Andrade experimenta os desejos e inquietações do uso do instrumento corpo em meio a ditadura dos padrões.

E no domingo, outra conversa promete movimentar o festival, às 15h, na Sala de Teatro com o assunto: Políticas de manutenção de grupos de dança do Vale do São Francisco. Às 19h, o Teatro Dona Amélia abre as portas para o Encontro Clássico de Dança, que vai reunir escolas de ballet da região em apresentações de trechos dos seus espetáculos.

Até o encerramento, no sábado (2 de maio),quando acontece o Overdança, com 12 horas ininterruptas de atrações, a 8ª edição do Aldeia Vale Dançar estará movimentando Petrolina e região com uma programação diária e a oferta deoficinas, intervenções, mostra de solos, duos e de vídeodança. A maioria das atrações são gratuitas, exceto os espetáculos no teatro Dona Amélia, que custarão R$ 3,00 Meia e R$ 6,00 Inteira, além das oficinas de capacitação: R$ 10,00 (comerciário) e R$ 20,00 (usuário).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Família petrolinense viaja para Brumadinho (MG) em busca de informações de inspetor de máquinas que está desaparecido

Cláudio Márcio dos Santos, de 46 anos está entre os desaparecidos da tragédia do rompiment…