Petrolina: Justiça determina que Avianca pague indenização de R$ 5 mil a ex-funcionária por danos morais

2

A Oceanair Linhas Aéreas, mais conhecida pelo nome de Avianca, foi condenada a indenizar em R$ 5 mil uma ex-colaborada por danos morais, em Petrolina. A sentença judicial foi expedida pela 2ª Vara do Trabalho do município, no último dia 09 de julho. Ainda abalada emocionalmente por tudo que passou, a ex-funcionária de 41 anos, que  atuava no setor de despacho de bagagens e prefere não se identificar, comentou que chegou a ser chamada de “cavala”, “jumenta” e muitos outros termos pejorativos e humilhantes, inclusive de cunho sexual, alguns desses ouvidos pelo rádio utilizado pelos funcionários.

Demitida em fevereiro de 2017, ela relata que tem evitado sair de casa com receio de represálias e que sua única intenção ao acionar a justiça era que a empresa adotasse uma medida de parar com esses abusos. “Eu não sou a primeira a passar por isso, depois que fui demitida descobri outras situações envolvendo meu nome. Meu emocional foi abalado e dinheiro nenhum paga isso, pois ninguém é o mesmo depois de passar por esse tipo de situação.”, pontuou. 

Com quase sete anos trabalhando na empresa, a agente de despacho tinha medo de denunciar os abusos sofridos, principalmente, pelas ameaças vindas dos seus superiores, mas após receber apoio de familiares e amigos, resolveu colocar um ponto final na história através da justiça.

A sentença deixa claro que o assédio moral ocorreu e que a empresa deve arcar com suas responsabilidades no que tange o ambiente de trabalho.

Sendo assim, entende-se comprovado que a honra da reclamante foi macula, vez que sofreu tratamento depreciativo na empresa, praticado por prepostos da reclamada no curso da relação empregatícia, atitude que tem o condão de lesar a sua esfera psicológica e de causar menoscabo profissional. Ressalve-se, ademais, que é dever da empresa manter um ambiente de trabalho hígido, sadio e harmônico.”, trecho da decisão judicial.

2 Comentários

  1. Sou eu

    12 de julho de 2018 em 17:47

    Finalmente um ser corajoso para nos representar.
    MEU MUITO OBRIGADA.

    Responder

  2. Sílvia

    12 de julho de 2018 em 18:55

    Lástima uma coisa assim. O pior é que a vítima sofre e os covardes agressores se escondem atrás de seus cargos .
    Que coragem. Parabéns e força.
    Quantos trabalhadores engolem calados tudo que é tipo se humilhação e exploração?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Leitor Repórter: Canal transborda próximo ao Bairro Cosme e Damião em Petrolina

O canal, localizado próximo ao Pátio de Eventos Ana das Carrancas, no trajeto para o Aerop…