Operações de combate a poluição sonora serão intensificadas a partir desta semana

1

ordem

Representantes da Agência do Meio Ambiente (AMMA), Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Polícia Militar, secretarias municipais de Cidadania e Ordem Pública, participaram na manhã desta sexta, na sede da AMMA, de uma reunião para traçar estratégias que intensifiquem as operações de combate à poluição sonora no município.  Esta é uma das principais demandas sociais junto aos órgãos de segurança e de proteção ambiental.

“A proposta desta reunião é instar os órgãos a cumprirem na cidade de Petrolina, a sentença transitado em julgado sobre poluição sonora. Temos uma sentença confirmada no tribunal que, para produzir eventos em Petrolina além de exarar som mecânico ou ao vivo; bares e restaurantes devem que ter  licença ambiental e alvará sonoro em vigor. O que eu vim dizer para a Prefeitura e a Policia Militar é que essa ordem tem que ser cumprida com fechamento de estabelecimento, apreensão dos instrumentos de  ruído , porque poluição sonora é crime. A Lei de crimes ambientais autoriza a apreensão dos produtos de crime. Nesse contexto, tem que ser apreendido em flagrante paredões e equipamentos de músicos se estiverem em desconformidade com a norma”, pontuou a promotora pública do Meio Ambiente, Ana Rúbia Torres.

Ana Rúbia destacou ainda a importância da parceria dos órgãos para a garantia do sossego público. “A integração dos órgãos é extremamente importante e, mais ainda, a continuidade destas ações. Todos nós temos o direito de nos divertimos, no entanto, sem atrapalhar o sossego de quem quer descansar. Lazer e sossego são direitos constitucionais, mas tem que haver harmonia. Um paredão, por exemplo: o que se discute não é a qualidade da música que toca, mas sim o volume. É um caso de saúde, prejudica os tímpanos de quem está à volta e não pediu para ouvir aquilo”.

O secretário executivo de Ordem Pública, Jenivaldo Santos, enfatizou que as operações de fiscalização já acontecem com frequência na cidade e que o intuito não é prejudicar os proprietários de estabelecimentos ou músicos, mas sim fazer o que preconiza a Lei. “. O que estava faltando era fazer a apreensão da fonte emissora de ruídos.  Então nossa orientação é que, antes de aceitar um contrato para tocar em um bar, o músico se certifique que aquele local tem alvará sonoro. Se não tiver e ele tocar, vai estar sujeito a ter equipamento sonoro apreendido, levado para depósito e o fato ser comunicado ao MPPE por descumprimento de sentença judicial”, alertou.

Para a gestora da AMMA, Denise Lima, “o fortalecimento da relação entre os órgãos do município, Ministério Público e a Polícia Militar vai trazer resultados benéficos para a população que sofre com a poluição sonora. Não é intenção da AMMA embargar ou dificultar as atividades, mas que seja cumprida a Lei que nos ordena. Dessa forma, os estabelecimentos regularizados poderão funcionar adequadamente com seus sons, e a população poderá ter seu sossego de direito”.

1 Comentário

  1. ailton jose muniz da silva

    18 de junho de 2015 em 22:45

    Cabe, de inicio, com muita propriedade, parabenizar ao grupo, que, de uma forma exemplar, pôs fim a situação caótica que viviam os moradores da orla de Petrolina, face ao barulho emanado pelos bares,casas de show ao vivo. Quem sabe o que é o chicote ,é quem fica com a ponta nas costas. Enfim ,podemos dormir, ver televisão, ler um livro ou mesmo escutar a música desejada. Como é bom ter sossego.Se querem manter casa de show noturno funcionando, confinem o som e o ofereçam a quem querem ouvir e pagar caro por isso.Existem duas situações que o organismo humano não se adapta , o ruído e a dor.Façam uma pesquisa e perguntem aos moradores se essas músicas incomodam, à noite , em volume elevado. Adaptem as casas de show , cumpram as regras e todos sairão ganhando. Mais uma vez ,parabéns.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

“Aqui Cada Leitor Vira um Repórter”: Leitor volta a reclamar do abandono ao Parque Municipal de Petrolina

De acordo com o leitor, o Parque Parque Josepha Coelho em Petrolina está abandonado e nada…