Corpos de policiais que morreram atropelados por trem são velados

0

Os corpos dos dois policiais militares do 16º Batalhão que foram atropelados por um trem serão velados nesta quarta-feira (16), em uma capela do Cemitério de Santo Amaro, na área Central do Recife. Os corpos do sargento Enéas Severino Silva, de 42 anos, e do cabo Adeildo José Alves, de 40 anos, estão no Instituto Médico Legal (IML) e ainda não foram liberados. O sepultamento deve acontecer às 16h.

O cabo Adeildo deixou dois filhos, um de 14 anos e outro de 7 anos. O sargento Enéas também deixou dois filhos, um de 21 e outro de quatro anos. Os familiares de Enéas chegaram ao IML às 9h10. Eles, que são do Janga, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, não quiseram conversar com a reportagem. Os familiares de Adeildo são do Ibura, no Recife, e chegaram pouco depois, às 9h30.

O acidente aconteceu durante uma ação policial na noite da última terça-feira (15), às 20h50, no bairro de São José, nas proximidades da Estação Joana Bezerra. Segundo a Polícia Militar (veja nota abaixo), o grupo procurava criminosos na área quando foi acertado por uma composição do Metrô do Recife. Além do sargento Enéas e do cabo Adeildo, outros dois militares sofreram ferimentos e foram encaminhados ao Hospital da Restauração, no bairro do Derby. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) , por meio de nota, lamentou o ocorrido e informou que acionou, de imediato, os órgãos competentes. A CBTUinformou que “está à disposição para prestar os esclarecimentos às autoridades responsáveis pela apuração do fato”.

A Polícia Militar lamenta profundamente o trágico acontecimento desta terça-feira (15) à noite, quando dois policiais do 16º BPM, no estrito cumprimento do dever, acabaram mortos, atropelados por uma composição do metrô. O fato ocorreu quando o grupo de policiais militares realizava incursões na área férrea na procura de contumazes meliantes que usam do local para o cometimento de crimes como tráfico e assaltos. Outros dois policiais que formavam a equipe continuam recebendo atendimento médico no Hospital da Restauração. Nesse momento difícil, a Corporação pede a compreensão de todos, se comprometendo a, quando tiver informações precisas sobre o caso, repassá-las à sociedade. Agora, fixamos nossas atenções às famílias dos que perderam a vida em defesa da sociedade, bem como, em total apoio aos policiais militares que se encontram feridos. (Folha PE). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem nesta segunda restituição do IR

O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote …