UPAE/IMIP de Petrolina apresenta seus números em 4 anos de funcionamento

0

Prestes a completar 4 anos de funcionamento, a ser celebrado no dia 26 de julho com uma missa em ação de graças, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) comemora os seus números.

Durante esse período, na urgência e emergência, a unidade realizou mais de 350 mil atendimentos de clínica médica, 25 mil odontológicos e 2 milhões de procedimentos (radiologia, laboratório, nebulização, eletrocardiograma, medicação, sutura e curativo). Ainda nesse setor foram contabilizados quase 20 mil atendimentos realizados pelo serviço social, que recebe os pacientes classificados como azul (não urgentes).

Já na atenção especializada, a UPAE catalogou mais de 172 mil consultas médicas (entre 16 especialidades), 35 mil consultas não médicas (divididas entre a fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, nutrição, farmácia e serviço social), 21 mil cirurgias de 8 tipos de especialidades, 488 mil exames laboratoriais e de apoio diagnóstico, além de 44 mil sessões de fisioterapia.

Por mês isso representa, em média: 600 cirurgias; 6 mil consultas médicas; 1 mil não médicas; 12 mil exames laboratoriais e 2 mil exames de apoio diagnóstico. Na urgência e emergência são 8 mil atendimentos/mês (320/dia). “Sem dúvida, são números expressivos dos quais a gente se orgulha muito, pois representam o esforço e a dedicação de toda equipe”, considera a coordenadora geral, Ana Beatriz Mota Aguiar.

Diante de todos esses dados é possível constatar que a UPAE de Petrolina cumpre bem o seu papel na descentralização da assistência à saúde em Pernambuco. O serviço oferece a Petrolina e demais municípios da VIII Regional de Saúde um atendimento de qualidade, humanizado e resolutivo, que é aprovado por 80% dos seus usuários.

“É importante destacar que a gente atende a toda essa demanda, que representa 65% do atendimento SUS de urgência e emergência adulto em Petrolina, com um alto padrão de excelência. Ou seja, é quantidade e qualidade”, avalia Ana Beatriz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Amor e ódio serão discutidos na 6ª Jornada de Estudos em Psicanálise da Univasf

Com o tema “Amor, ódio e indignação em tempos de cólera”, a VI Jornada de Estudos em Psica…