Univasf: Policiais militares são investigados por suspeita de fraudar esquema de transferência em curso de medicina em Paulo Afonso (BA)

Policiais militares são alvo de uma investigação do Ministério Público Federal sobre um suposto esquema de transferências no curso de medicina da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Paulo Afonso (BA). Cônjuges e dependentes dos PMs também são alvos da investigação.

O MPF suspeita que os policiais e as respectivas famílias estariam utilizando a lei ex officio de forma irregular. A lei em questão assegura o direito à continuidade dos estudos dos militares. Com o uso irregular, os PMs estariam burlando o sistema de ingresso na universidade, sem passar pelo Sistema de Seleção Unificada ou o Exame Nacional do Ensino Médio.

A lei ex officio prevê que as instituições de ensino superior aceitem a transferência de alunos regulares para cursos afins, independente da época do ano e existência de vagas.

Ou seja, por meio da lei, é possível ingressar em um curso de uma faculdade particular e solicitar transferência para o curso de uma universidade federal, mesmo sem ter sido aprovado em uma seleção.

A denúncia foi feita por estudantes e servidores da própria Univasf.

Segundo o G1 Bahia, o que levantou a suspeita é que, além do aumento repentino de matrículas de militares e familiares no curso de medicina, essas pessoas estavam sendo transferidas de cursos anteriores diferentes. O esquema se repete em ao menos 27 casos, desde o segundo semestre de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Dormentes (PE) realiza neste sábado (25) o Dia D de Vacinação contra a Covid-19

A Prefeitura de Dormentes realiza neste sábado (25) o Dia D de Vacinação contra a Covid-19…