Sobre estudo que avaliou qualidade da carne caprina em Petrolina (PE), diretor da Vigilância Sanitária afirma que abate clandestino é o maior vilão

O diretor-presidente da Agência Municipal de Vigilância Sanitária de Petrolina (PE), Marcelo Gama comentou o recente estudo, divulgado pela Univasf, que avaliou a qualidade da carne de bode comercializada no município.

A pesquisa foi realizada nos anos 2019 e 2020, quando o Abatedouro Público de Petrolina ainda estava fechado, informação ressaltada pelo diretor. Ele também frisou que o abate clandestino é o responsável pelos níveis de contaminação das carnes, identificados no estudo.

“Não recebi essa notícia com nenhuma surpresa, eu acredito que a população também não. Isso é prova de que o abate clandestino traz um prejuízo imenso para saúde da população. Esse estudo foi realizado no momento em que o abatedouro de Petrolina ainda estava fechado é bom deixar isso bem claro”, comentou durante entrevista ao programa Edenevaldo Alves, na Rádio Petrolina FM.

Segundo Marcelo, a Vigilância Sanitária vai continuar apertando o cerco contra o abate clandestino na cidade. Os marchantes que não se adequarem à lei, serão penalizados.

“Nós temos flagrado marchantes ainda abatendo de forma clandestina. Estamos em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, e alguns processos administrativos foram abertos. O marchante que trabalha de forma clandestina, não terá direito a um box na feira livre, por exemplo, além das multas e penalizações”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

América Latina: Primeiro caso de varíola do macaco é confirmado na Argentina

O primeiro caso de varíola do macaco foi confirmado na América Latina na sexta-feira (27).…