SINTICON solicita atuação do Ministério do Trabalho para combater irregularidades trabalhistas em condomínios de Petrolina

Foto: SINTICONT

Em entrevista ao Blog, a Direção Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Petrolina (SINTICON) solicita mais atuação do Ministério do Trabalho (MT) para fiscalizar irregularidades trabalhistas em construções nos condomínios da cidade. Segundo o Diretor geral do SINTICON, Lelson dos Santos, muitos trabalhadores estão sem carteira assinada, trabalhando sem Equipamento Individual de Proteção (EPI), como cinto de segurança, capacete e luvas. Além de terem que fazer refeições e as necessidades fisiológicas em ambientes inadequados.

“Queremos a melhoria no ambiente de trabalho e na condição desses trabalhadores, mas estamos encontrando dificuldades, pois visitamos as obras, acionamos o MT através de ofício, mas já se passaram mais de seis meses e não houve nenhuma notificação ou autuação em relação as irregularidades apresentadas. Além de não existir fiscalizações constantes por parte do órgão.”, explica.

Foto: SINTICONT

De acordo com o Sindicato, mais de 10 condomínios da cidade possuem obras com trabalhadores em situação precária de trabalho. “Ainda assim quando os fiscais do Ministério visitam às obras não há firmeza nas ações, no momento ocorre uma conversa com os chefes, mas não ocorre um retorno para verificar se foi sanado aquele problema.”, frisa o Diretor Social do SINTICON, Ivan Cavalcante.

O grupo pede o apoio do órgão público para combater as irregularidades mencionadas e garantir a integridade física e moral dos trabalhadores da construção civil no município. Qualquer denúncia pode ser realizada no Sindicato através do telefone (87) 3862-1422.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Covid-19: Com UTIs lotadas, Rondônia vai ter que transferir pacientes para o Rio Grande do Sul

Cinquenta pacientes com Covid-19 vão ser transferidos, a partir de terça-feira (26), de Po…