Sessão Especial na Câmara de Vereadores levanta a bandeira do respeito em Petrolina

0

A Sessão Solene na manhã desta quinta (21), na Casa Plínio Amorim, foi de destaque para os vereadores e a sociedade civil organizada de Petrolina. A reunião destacou a importância das ações de combate à discriminação racial numa sociedade culturalmente segregada. Várias organizações sociais foram convidadas a participar do evento, entre elas, as comunidades indígenas, ciganas, negras, representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Apresentações artísticas e culturais com muita ludicidade tornaram a manhã ainda mais especial.

Ao propor este dia, em alusão ao Dia Internacional Contra a Discriminação Racial, os vereadores Gilmar Santos e Paulo Valgueiro abriram espaço na Casa do Povo para debater sobre a importante data que reforça a luta contra o preconceito racial em todo o mundo. Em especial, foram debatidas ações de combate a segregação racial em Petrolina e norteadas ações para dirimir o preconceito, o racismo, e o desrespeito com a garantia dos direitos humanos no município.

O dia 21 de março chama a atenção para a existência de diferentes tipos de discriminação, como a discriminação étnico-racial, física, linguística, religiosa, política, socioeconômica, geracional, de gênero, a homofobia e a transfobia.

O líder da Bancada de Oposição da Câmara, Paulo Valgueiro reforça que “ações de combate à discriminação devem ser uma constante em nossas vidas porque todos nós temos a função social de levantarmos a bandeira do respeito”.

21 de Março

A luta contra a discriminação racial só começou a se intensificar no Brasil após a Constituição Federal de 1988, que incluía o crime de racismo como inafiançável e imprescritível. A eliminação de qualquer tipo de discriminação é um dos pontos centrais da Declaração Universal das Nações Unidas: “Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública” (Artigo I da Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Óleo que contaminou praias do Nordeste veio da África, diz Inpe

Estudos realizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam que a ori…