Secretária de Infraestrutura de Pernambuco vistoria andamento das intervenções na rodovia que liga Afrânio (PE) a Dormentes (PE)

Na manhã desta quarta-feira (12), a secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra), Fernandha Batista, vistoriou o andamento das obras da PE-635, que liga as cidades de Afrânio e Dormentes, no Sertão do São Francisco. Os 33 quilômetros da rodovia estão sendo contemplados com os trabalhos de reconstrução do pavimento, recuperação da rede de drenagem e implantação de nova sinalização. A iniciativa faz parte do Programa Caminhos de Pernambuco e conta com investimento de quase R$ 25 milhões.

Os trabalhos na localidade são executados pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e vão beneficiar 540 mil moradores. “As intervenções na PE-635 estão em um ritmo bem avançado, com mais de 80% dos serviços concluídos e a nossa expectativa é que os trabalhos sejam finalizados antes do tempo previsto, no início no segundo semestre deste ano. Essa iniciativa foi uma prioridade estabelecida pelo governador Paulo Câmara e podemos perceber um otimismo na região com o avanço dos serviços, que vão impactar positivamente no escoamento da produção econômica do São Francisco”, ressalta Fernandha Batista.

A cidade de Dormentes é a maior produtora de ovinocultura do Estado e Afrânio ocupa o quinto lugar no ranking. A requalificação da PE-635 vai facilitar o escoamento dessa produção para as demais cidades pernambucanas e para os estados do Piauí, Pará e Maranhão, além de impulsionar a distribuição do Polo de Cerâmica da região.

A agenda foi acompanhada pelo secretário de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes; os prefeitos de Afrânio, Rafael Antonio Cavalcanti, e a de Dormentes, Josimara Cavalcanti; a deputada estadual Dulce Amorim; e o federal, Fernando Monteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Juazeiro (BA): Instituto de Previdência lança campanha alertando sobre violência financeira contra idosos

Idosos que não têm acesso aos seus cartões bancários ou são forçados a fazer empréstimos p…