Rio São Francisco chega aos seus 516 anos agonizando

Uma data importante é celebrada hoje, dia 4. o Rio São Francisco comemora 516 anos de descobrimento.

O rio que a cada dia mais vem perdendo força e secando assusta muitos ambientalistas, o nível vem abaixando ano após ano e agora esta em um nível nunca alcançado antes. As barcas que realizam o transporte fluvial encalham constantemente, muitos animais de grande porte vêm tomando conta dos caminhos de areia que se formam nesta época.

Hoje o Rio São Francisco abastece o municípios e comunidades ribeirinhas, a importância de conscientizar a população para se preservar e evitar a degradação é fundamental.

A vida do Rio só depende de cada um de nós.

1 Comentário

  1. Duarte

    5 de outubro de 2017 em 00:20

    Hoje assisti uma reportagem patética sobre o Rio São Francisco e como as pessoas são enganadas. Na reportagem comemorando o aniversário do Rio São Francisco dava detalhes que “20.000 peixes” estavam sendo soltos no Velho e cansado Chico. Velho de tantos desusos, cansados de tanta mentiras. Foram 20.000 alevinos, número para pesque e pague. No meu sítio para estocar os açudes são 3.000 alevinos por trimestre (12 mil ano), e é são açudes pequenos, ou seja, propaganda enganosa e traiçoeira.
    Na minha região, uma empresa energética fez um barulho danado por causa de “repovoamento” de peixes, mas o fato foi – Soltaram 100.000 alevinos no rio, ao custo na época de R$120,00 o milheiro, total R$12.000,00 (doze mil) em custos, investiram milhares de reais em propaganda, e o pior uma propaganda mentirosa.
    Alevinos soltos no São Francisco ou em qualquer rio sem critérios tem uma taxa de sobrevivência minima, é mentira de ONG ou empresas.
    O fato que não há interesse em fazer o certo e sim o que a mídia que mostrar para iludir a população. O processo de repovoamento e recuperação de um rio tem que se respeitar etapas, a primeira é a recuperação dos afluentes, o resto é propaganda enganosa.
    Recupera os afluentes através da melhoria de condições da água e do volume. O volume da água é vital e se faz com a proteção das nascentes – Fato que é um tabu para proprietário e governo, um jogo de empurra.
    Recuperando os afluentes melhora o nível de água no rio principal. Após está etapa faz o repovoamento. Repovoar um rio não é colocar 20.000 “peixes” no meio do rio principal. Cada peixe tropical ovíparo coloca centenas de ovos, 20 mil é insignificante. Repovoar um rio é fazer as etapas, exemplo, no período da piracema colocar milhares de alevinos no local certo. não no rio principal, mas em dezenas, centenas de afluentes, próximos as suas nascentes como se fosse um processo natural, dando maior possibilidade de sobrevivência ao alevino, que por extinto ira seguir a ordem das etapas de um crescimento.
    Pobre Velho Chico és feito de água, e no Brasil a água é somente dada a sua importância no momento de sede, que após saciada é esquecida e vira o escoadouro de nossos lixos e mazelas.
    Nota: Bagre africano, tilápias e outros peixes exóticos, incluídos peixes brasileiros de outras bacias hidrográficas tem um poder de acabar com o equilíbrio. Na minha região, por exemplo, o tucunaré e a tilápia estão acabando com nossos peixes nativos. Lambari (Astyanax bimaculatus), também conhecido como Piaba praticamente acabou. Sem propaganda como marketing pessoal solto na piracema, centenas destes peixes nas cabeceiras próxima a ninha propriedade e não chamo a Rede Globo ou a imprensa local, pois tento fazer a minha parte, mas infelizmente até neste assunto estamos perdendo a guerra para o fútil e desconhecimento.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Agência do Banco do Brasil do shopping Águas Center em Juazeiro (BA) encerra atividades e será desativada nesta segunda (19)

Depois de anos em funcionamento, a população de Juazeiro (BA) vem demonstrando revolta e i…