Reunião define estratégias contra o fechamento do matadouro de Petrolina

1

IMG_8345

Uma reunião realizada na manhã desta terça-feira (12) teve como objetivo dar um basta no fechamento do matadouro em Petrolina. O plenário da Casa Plínio Amorim ficou lotado coma presença de vereadores, representantes do deputado federal Fernando Filho, marchantes e feirantes.

O encontro foi conduzido pelo vereador Ronaldo Souza que desde o início da celeuma esteve comandando reuniões com a promotoria pública e mantendo o diálogo com o executivo municipal. Para cancão, o movimento que inclui a luta dos marchantes contra o fechamento do patrimônio público está ficando ainda mais forte. O edil também não deixou de criticar a gestão de Julio Lossio.

IMG_8339“O que o governo municipal fez ao longo de sete anos de gestão foi acabar com a imagem dos marchantes concordando com a ideia do fechamento do matadouro, nem proposta de um novo espaço tem. Em pleno século vinte e um acontecer uma barbaridade dessa, isso é um crime. Nosso movimento está ficando mais forte e o prefeito que se cuide porque não vamos deixar fechar o matadouro. Não podemos dar o luxo a vaidade do prefeito”, enfatizou o vereador.

Lucília de Souza é funcionária do matadouro público e endureceu críticas à gestão municipal e a alguns vereadores fazendo um apelo.

IMG_8342“Olhem com bons olhos para esses pais de família, principalmente a promotora, o prefeito e alguns vereadores. Se o matadouro fechar, vamos todos ficar desempregados. Nó dependemos desse emprego e a luta será mais forte. Outras coisas vendem como terrenos, e o matadouro ir à venda será uma maneira da gestão cruzar os braços para o povo e a promotoria não pode concordar com esse absurdo”, desabafou.

Comerciante há 40 anos no ramo de carnes em Petrolina, Gilberto de Castro pediu ao executivo que tivesse ‘pena’ de muitos pais de família. Em seu discurso, Castro afirma que 150 pessoas que trabalham no matadouro ficarão desempregadas

“Vamos à luta e tenho certeza que não vamos ficar desamparados. Peço a Julio Lossio que não feche o nosso matadouro. Antes ele entregou o matadouro de braços abertos aos funcionários e hoje ele quer fechar. Não estamos fazendo greve, só estamos lutando pelos nossos direitos e queremos num novo matadouro”, disse.

A categoria não aceita que o abate dos animais seja transferido para Juazeiro, Norte da Bahia. Os marchantes reclamaram da ausência de deputados que apoiam a causa e de alguns vereadores que faltaram a reunião realizada hoje. O convite também foi feito a representante do MPPE, promotora Ana Cláudia de Sena Carvalho.

Ato pelas ruas de Petrolina

No dia 22 de janeiro, haverá uma manifestação contra o fechamento do matadouro saindo do Centro de Convenções seguindo até o Fórum Dr.Souza Filho e passando pela prefeitura. Alguns marchantes revelaram a nossa reportagem, se caso o protesto não obter os resultados esperados, a categoria pretende interditar a Ponte Presidente Dutra.

1 Comentário

  1. ELEITOR SÁBIO

    12 de janeiro de 2016 em 18:05

    PISA NO POVO,DEPOIS GANHA A ELEIÇÃO PORQUE O POVO DE PETROLINA DESAPRENDEU A VOTAR.
    E AS DENÚNCIAS DE RONALDO CANCÃO ATÉ AGORA NÃO DEU EM NADA,UM EXEMPLO,AS DENÚNCIAS DOS SÃO JOÕES MILIONÁRIOS ATÉ AGORA ESTÁ NO ESQUECIMENTO.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

MPPE recomenda aos prefeitos de Afrânio (PE) e Dormentes (PE) que fiscalizem manuseio e higiene dos produtos de origem animal

Por ser de amplo conhecimento que nos municípios de Afrânio e de Dormentes há diversos pro…