Relator de tribunal misto vota pelo impeachment de Witzel, governador afastado do Rio de Janeiro

O deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), relator do processo de impeachment do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), votou pela retirada definitiva do acusado do cargo.

Waldeck também defendeu que o governador afastado tenha os direitos políticos cassados por cinco anos.
Primeiro a votar, Waldeck considerou Witzel culpado pelos crimes de responsabilidade que envolveram fraude na contratação dos hospitais de campanha para o combate à pandemia do coronavírus e suposto favorecimento de um empresário ao anular a punição a organização social Unir Saúde por sua atuação na Secretaria de Saúde.

“Ainda que não haja sua assinatura no contrato [para construção dos hospitais de campanha], é inverossímel que não soubesse do que se passava. Afinal, era a maior contratação do governo, com incidência no maior desafio de seu governo: salvar a vida das pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. Poderia o réu ficar absorto face a tudo isso? Ainda que sim, o caso passa a ser de omissão, negligência ou desleixo”, afirmou Waldeck.

Waldeck destacou o fato de Witzel ter confirmado que solicitou ao seu ex-secretário de Saúde Edmar Santos almoçar com o empresário Mário Peixoto. Santos se tornou delator e disse que ouviu um pedido para que a organização social Unir Saúde não fosse punida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Gil do Vigor vai à Ilha do Retiro e recebe camisa personalizada do Sport

O Pernambucano Gilberto Nogueira, mais conhecido como Gil do Vigor, um dos principais nome…