Projeto Irrigado Nilo Coelho celebra 36 anos de desenvolvimento no Vale do São Francisco

Neste 13 de dezembro, é celebrada a data de Inauguração do Projeto Público Irrigado (PPI) Senador Nilo Coelho. Ao longo de 36 anos de operação, a área, situada entre os municípios de Casa Nova (BA) e Petrolina (PE), se desenvolveu e mudou o cenário do semiárido nordestino. Hoje, é considerado um dos principais polos da fruticultura irrigada do país.

Implantando na região, pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o projeto passou a ser um Perímetro Público, com uma área total de 40.763 ha, dos quais, 18.667 ha irrigáveis na concepção original sendo 85% da área destinada pequenos produtores e 15% por lotes empresariais. Hoje o PPI possui uma área irrigada de cerca de 22.500 ha.

Esse Projeto possui onze núcleos habitacionais, três centros de serviços, 15 escolas, postos de saúde, e policiais, além de áreas comerciais. Na área Maria Tereza, que pertence ao Projeto Nilo Coelho, existem cinco núcleos de serviços, cinco escolas fundamentais, um prédio administrativo e postos telefônicos e policiais. Estima-se que a população total da área chegue a 100 mil pessoas.

O desenvolvimento do Projeto Irrigado Nilo Coelho ocorreu ao longo do tempo. Entre os anos de 1984 a 1986, a área era administrada pela Codevasf. Posteriormente, a condução foi repassada aos produtores rurais, através das associações dos Núcleos, até 1989. Após esse período, o Projeto passou a ser administrado pelo Distrito de Irrigação Nilo Coelho (DINC).

Os estudos iniciais para implantação do Projeto, apontavam que a área era bastante favorável para a fruticultura irrigada. E hoje, é uma das atividades que movem a economia local e nacional. Segundo dados da Codevasf, a uva é responsável por 66% do Valor Bruto de Produção Agropecuária (VBP), a manga 20%, a goiaba 6% e as outras culturas participaram com 8% do total. De toda a produção obtida no projeto Nilo Coelho o valor comercializado no ano de 2019 foi na ordem de R$ 1.5 bilhões.

O Engenheiro Agrônomo e produtor rural, Josival Amorim participou do primeiro grupo de estudo operacional da área. “Eu tenho a felicidade de dizer que fui o primeiro a produzir no Projeto, aqui no Núcleo 1. A primeira cultura que plantei foi feijão, e depois cultivei outras variedades, até que em 1992, comecei a plantar manga. A implantação do Projeto mudou a realidade do semiárido. Eu sou muito feliz e grato por viver e fazer parte de tudo isso”, afirmou.

Outro produtor rural que também acompanhou o crescimento do Projeto foi José Rodrigues de Araújo. “Eu sou de Santa Maria da Boa Vista e quando cheguei aqui as coisas eram mais difíceis. Mas com o passar do tempo, as coisas foram melhorando, graças a Deus! Tive o prazer de ser o primeiro presidente da associação do Núcleo 9, e pude lutar pelo crescimento do Projeto. Neste dia especial, quero parabenizar a todos produtores que também fazem parte do crescimento do projeto”, pontuou.

O gerente executivo do (DINC), parabeniza a todos que fazem parte da história do Projeto. “Sinto uma satisfação enorme por poder participar dessa comemoração. É verdadeiramente uma honra fazer parte da história do Perímetro Irrigado Nilo Coelho. Ao longo dos últimos 13 anos, tenho tido a oportunidade de ouvir depoimentos e narrativas pessoais de personagens ilustres e importantes para que o Nilo Coelho se tornasse o que é hoje: um marco vivo e inconteste da pujança e grandeza da nossa terra”, afirmou Paulo Sales.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Governo Bolsonaro corta benefícios fiscais para pesquisa científica no país e atinge projetos sobre Covid-19

O governo Jair Bolsonaro cortou 68,9% da cota de importação de equipamentos e insumos dest…