Programa Edenevaldo Alves 19 anos: Um caminho sem volta de fazer jornalismo!

0

edenevaldo

O Programa Edenevaldo Alves comemora nesta quinta-feira (4),  19 anos no ar, e continua sendo o líder de audiência em toda a região. Em homenagem a diferença da comunicação, criada para surpreender a população,  o jornalista Marcelo Damasceno revela neste artigo, o valor do programa que revolucionou a radiodifusão regional. Confira:

19 anos atrás a RADIODIFUSÃO REGIONAL que compreendia a transmissão em onda média era desafiada pela invasão dos telejornais com a marca da tevê Globo e SBT em Petrolina e Juazeiro. E mais de perto a novidade digital e com sonoridade melhor qualificada a densidade das FM’S em alta voltagem.

Todos os especialistas da comunicação social em consórcio implacável do mercado publicitário esvaziam as receitas das emissoras à manivela.

Com certeza as rádios Am’s eram espremidas pelo rigor fiscal e gordurosa folha de pessoal e da manutenção técnica. Os programas se limitavam a glorificar mais a emissora que o ouvinte. Interlocução com a Rua era uma ilusão. O jornalismo escasso. O público era convidado a ficar em silêncio. A irradiação pedradora das rádios Fm’s acabrunhavam as programações do rádio Am.

Era esmagadora novidade e forte comunicação o luxo modulado. Porém, 19 anos atrás a RADIODIFUSÃO REGIONAL era surpreendida pelo jovem radialista Edenevaldo Alves. Sua experiência em comunicação de massa registrara tímidos estágios em locução esportiva e atribuições burocráticas de rota musical. Fizera duro aprendizado na rádio GRANDE RIO AM/FM.

19 anos atrás Edenevaldo mudava voluntariamente o formato da comunicação ambientada em estúdio e instalava um caminho sem volta de fazer jornalismo com a Rua, os bairros, o telefone sem restrição num link direto com o trombone da população. 19 anos atrás, Edenevaldo Alves, dava enorme combustível é outra feição ao rádio AM.

Na Rádio A VOZ DO SÃO FRANCISCO AM 730, a história da comunicação aliando estúdio e a rua sem “cortes ou edição” mudava a rotina matinal, media força com a prodigiosa frequência modulada pelo programa EDENEVALDO ALVES. O debate seletivo entre os habitués da política e universo artístico dava lugar ao LINK, sem maquiagem e a reclamação nua e crua da periferia cheia de dificuldades e um trombone na boca.

Edenevaldo desde então, atribuía a pauta do dia ao leigo ouvinte. A radiodifusão em todo Vale sanfranciscano era protagonizada na Emissora Rural pela população. Que ouvia sempre e agora falava. O radio móvel preconizava a força virtual. Depois, em exatos 11 anos um novo DIAL pela rádio PETROLINA FM, o teor do programa Edenevaldo Alves mantém a receita que forçou a FM modificar seu padrão. E imitar o conteúdo e volume do radiojornalismo.

Agora em sua liderança nata e um jeito próprio de ser COMUNICADOR entrelaçado ao circuito cidadão da rua, Edenevaldo sabe que o rádio é a rua. E que a melhor e mais autorizada comunicação tem a boca do povo. Num trombone que mantém um e maior melhor jornalismo de pé. 19 anos atrás Edenevaldo pelo sim e pelo não tem a pauta da rua em seu microfone na FM que repete a onda média em PETROLINA.

Por Marcelo Damasceno. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Médico morre vítima do novo coronavírus

Faleceu na noite de segunda-feira (23),  em Petrolina (PE), o anestesista César Obara. Ele…