Prisão de Temer é vista com ressalvas por lideranças de Pernambuco

0

A prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) pela força-tarefa da Operação Lava Jato do Rio de Janeiro, ontem, repercutiu entre os políticos. De maneira objetiva, o senador Jarbas Vasconcelos, também do MDB, foi enfático e disse apenas que “a prisão de um ex-presidente nunca é algo a se comemorar. Mas decisão da Justiça não se discute”. Já o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou, antes da entrega do Anuário da Secretaria da Mulher de Pernambuco, ontem, que tem acompanhando “o que tem saído na imprensa” e que “sempre vê com preocupação esse tipo de questão”. Para Câmara, por tratar-se de um ex-presidente, o tema merece uma atenção redobrada. “Ao mesmo tempo, não cabe pré-julgamentos. Nós temos que confiar nas instituições, sem prejulgar. E, ao mesmo tempo, esperando que tudo seja esclarecido”, complementou o gestor estadual.

Presidente do PSB nacional, Carlos Siqueira, por meio de nota, ressaltou que a sigla fez “ampla e firme oposição ao governo do ex-presidente Michel Temer, posicionou-se contra todos os itens de sua vasta agenda ultraliberal, solicitou seu impedimento”, mas fez ressalvas à prisão do ex-presidente. “Apesar desse histórico, não podemos aceitar que a prisão de qualquer cidadão, inclusive de um ex-presidente da República, ocorra sem a mais estrita observância do devido processo legal e do direito de ampla defesa. Não há democracia, quando os direitos individuais não são rigorosamente observados, independentemente do clamor que cada situação particular possa suscitar”.

A vice-governadora Luciana Santos, que é presidente nacional do PCdoB, por sua vez, lembrou que o seu partido tem “muita tranquilidade” em dizer que votou a favor do afastamento do ex-presidente para que ele fosse investigado e que, apesar dos indícios de crimes que ele pode ter cometido, ela frisou que as instituições e o devido processo legal precisam ser respeitados.

“Nós somos daqueles que defendemos o Estado Democrático de Direito ou o devido processo legal. Ainda não houve tempo suficiente para ver as condições desse tipo de prisão”, disse Luciana. “Ele tem várias denúncias, inclusive envolvendo o Rocha Loures, com aquela mala que todo mundo viu no Brasil todo. Mas é necessário observar o devido processo legal. Isso é o que nós estamos na expectativa de compreender melhor quais são as motivações da prisão e que se possa ir às últimas consequências para se apurar”, complementou.

“Embora tenham muitas denúncias que possam ser apuradas, nós, inclusive eu, que votei pelo afastamento dele para que ele fosse investigado, não comemoro nada que seja arbitrário. Por mais que a gente tenha posições diferentes, nós queremos o respeito ao Estado Democrático de Direito”, finalizou.

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do Governo Bolsonaro, emitiu uma nota oficial sobre a prisão do ex-presidente. “Com tristeza, recebemos a notícia da prisão preventiva do ex-presidente da República Michel Temer. Neste momento, reiteramos a nossa confiança nas instituições e esperamos que os fatos investigados sejam esclarecidos. (FolhaPE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

MPF pede à Justiça suspensão do Sisu, Fies e Prouni por erros no Enem

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça a suspensão das inscrições no Sisu (Sis…