Prefeituras de Petrolina e Juazeiro dialogam sobre regulamentação do UBER nas duas cidades

1

Representantes das gestões municipais de Petrolina e Juazeiro se reuniram nesta terça-feira, 19, no Paço Municipal da cidade baiana, para discutir questões relacionadas ao serviço de transporte público via aplicativo da internet Uber. O encontro contou com a presença do diretor da Agência Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA), Geraldo Miranda, do secretário executivo de Tributação da cidade Pernambucana, Edilson Nascimento, do diretor- presidente da Companhia de Segurança, Trânsito e Transportes (CSTT) de Juazeiro, Damião Medrado, do Secretário de Governo, Clériston Andrade, e do Procurador Geral do Município, Eduardo Fernandes.

Foram debatidas questões referentes à regulamentação, bem como a tributação que vai incidir sobre o serviço. No encontro, um consenso: as duas cidades unidas pelo Rio São Francisco pretendem buscar uma solução em conjunto. “Petrolina e Juazeiro não podem ser tratadas de maneiras distintas. Nós somos praticamente uma só cidade quando se trata de serviços. Essa forma de regulamentação do UBER que a gente busca neste momento é que façamos de forma conjunta, para que não exista nenhum tipo de disparidade, nem desencontros com relação a este tipo de regulamentação. Vale salientar que nós não vamos abandonar os segmentos de taxistas, nem de mototaxistas. O que pretendemos é equilibrar”, declara o gestor da AMMPLA, Geraldo Miranda.

Para Damião Medrado, o município está atento a este novo serviço de alcance mundial e espera que todos sejam beneficiados. “De certo modo, isto já era aguardado. E nós já estamos dialogando com a nossa equipe e com o pessoal do governo de Petrolina para que possamos estabelecer uma tarifação justa e que não afete os serviços similares já existentes, como taxis e mototáxis”, destaca o diretor-presidente da CSTT.

O secretário de Governo de Juazeiro agradeceu aos representantes da gestão petrolinense pela disponibilidade em dialogar para a implantação legal deste serviço. “É um tempo em que pensamos em crescimento de forma conjunta, com diálogo. Os serviços interessam as duas cidades. Assim, temos por obrigação pensar em parceria, com civilidade e com vistas ao desenvolvimento, e sem bairrismo”, ressalta Clériston Andrade.

1 Comentário

  1. Josenilton Melo

    20 de setembro de 2017 em 11:45

    Não pode existir nada de iniciativa privada que o governo já quer sair taxando.
    Se os “Uberistas” caírem nesta, estão lascados!

    Menos estado, mais iniciativa privada. Regulamentar quer dizer, cobrar imposto e controlar. Se fizer isso, deixa de ser UBER e vira Taxi.

    Responder

Deixe uma resposta para Josenilton Melo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

TJPE autoriza retorno das atividades presenciais de Comarcas e inclui Petrolina

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) divulgou o Ato Conjunto 39/2020, que autoriza o…