Polícia ouve suspeitos de assassinato de menina de 7 anos; Um deles é ex-presidiário

1

delegada

Dois homens foram identificados e ouvidos na Delegacia de Homicídios de Petrolina, no Sertão, como suspeitos do assassinato da estudante Beatriz Angélica Mota, 7 anos, encontrada morta no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora na noite da última quinta-feira. Um dos suspeitos, segundo a polícia, é um ex-presidiário. Os dois homens, que não tiveram os nomes revelados, prestaram depoimento à delegada Sara Machado e foram liberados. Ambos negaram participação no crime.

A polícia aguarda o resultado das perícias para tentar encontrar provas contra os suspeitos. As imagens das câmeras de segurança do colégio já estão em poder da polícia. “Até o momento, não encontramos nada de suspeito nas filmagens, mas muita coisa ainda falta ser analisada”, disse um policial em reserva. A menina foi assassinada a golpes de facas e o corpo encontrado dentro de uma sala de material esportivo desativada.

Beatriz Angélica Mota estava acompanhada do pai, o professor de inglês Sandro Romildo, que leciona na escola, e também da mãe, Lúcia Mota, em uma solenidade de formatura. Enquanto as pessoas participavam da festa, a criança desapareceu. O pai chegou a subir ao palco, montado na quadra, para pedir ajuda das pessoas para localizar a filha. A arma usada no crime, uma faca tipo peixeira, foi deixada no corpo da criança.

Segundo a delegada Sara Machado, todas as imagens das câmeras de segurança do colégio e das redondezas estão sendo analisadas. “Também já temos algumas linhas de investigação, no entanto, ainda é prematuro informar quais delas são as mais prováveis ou qual foi a motivação do crime”, ressaltou a delegada. Ainda ontem, em Petrolina, Sara Machado falou sobre as investigações e disse que a garota não foi abusada sexualmente. “Não houve violência sexual, nem tentativa. A garota estava vestida. Por conta disso, a intenção específica era de matar”, afirmou Sara, acrescentando que “nenhuma motivação nessa intenção de matar pode ser descartada.” (DP). (Foto: Taisa alencar).

1 Comentário

  1. Pedro

    14 de dezembro de 2015 em 21:39

    Se existem suspeitos eu não entendo o porque de não ter solicitado um preventiva à ambos…
    Quer dizer que, se forem levantadas as provas contra eles, eles vão ter ainda a chance de fugir… Na minha opinião era para mantelos detidos durante as investigações!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Com derrota de Marília Arraes, em Recife (PE), PT tem o pior resultado nas eleições municipais desde sua fundação

Com a derrota de Marília Arraes, no Recife (PE), e João Coser, em Vitória (ES), o Partido …