Petrolina (PE): Trabalhador do Mix Mateus reclama de exaustiva jornada de trabalho e falta de pagamento de horas extras; assessoria responde

O trabalhador de uma uma recém-inaugurada rede de atacado e varejo, em Petrolina (PE), entrou em contato com a redação do Blog Edenevaldo Alves na quarta-feira (16), para fazer uma reclamação sobre a exaustiva jornada de trabalho que os colaboradores da empresa estão sendo submetidos e da falta de pagamento pelas horas extras.

“Estou trabalhando no supermercado Mix Mateus. O mercado é muito bom, porém estão nos obrigando a trabalhar há quase dois meses, 10h por dia, e essas horas extras trabalhadas não são pagas. Eles falam que vão nos dar em folga. Hoje questionamos o chefe do setor a respeito das horas extras  e ele disse que quem não quisesse ficar, fosse ao RH. E que só poderíamos sair quando ele autorizasse. Só que desde o treinamento, antes de abrir o supermercado que só folgamos uma vez na semana, que é o descanso que é garantido por lei. Alguns colegas já pediram desligamento da empresa, mas eu preciso do emprego”, desabafou.

Em nota, a assessoria da rede esclareceu. Conforme previsto em lei, trabalhamos com banco de horas e compensação ao longo de 30 dias. Após este prazo, as horas extras são devidamente pagas. A prática está prevista tanto na CLT, quanto na convenção coletiva vigente” .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

América Latina: Primeiro caso de varíola do macaco é confirmado na Argentina

O primeiro caso de varíola do macaco foi confirmado na América Latina na sexta-feira (27).…