Petrolina (PE): Técnicos do Ministério Público vistoriam áreas degradadas do Riacho Vitória e situação é preocupante

Depois da Promotoria de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em Petrolina externar a sua preocupação com a situação de degradação e forte impacto ambiental sofrido pelo Riacho Vitória, afluente do São Francisco e que corta o município, representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) e uma equipe de engenheiros e técnicos da empresa Água e Solo estiveram na cidade. O objetivo foi analisar um projeto emergencial de intervenção no Riacho Vitória.

Contribuiu também para a vinda das equipes, a última reunião, realizada em agosto de 2023, entre o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, por meio da Câmara Consultiva Regional (CCR) do Submédio São Francisco, com a Promotoria de Justiça.

Durante o encontro, a Promotora de Justiça Rosane Moreira Cavalcanti externou ao Coordenador da CCR, Cláudio Ademar a sua preocupação com a situação do riacho, que recebe despejos de esgotos e agrotóxicos. Um projeto, encaminhado ao MPPE, também foi entregue ao CBHSF com o intuito de ser avaliado de forma isenta e verificar a possibilidade de uma atuação conjunta entre as partes. O documento norteia para a execução de obras para o curso d’água, de modo a atender às suas necessidades de revitalização.

A Promotora Rosane Moreira Cavalcanti lembra que, em 2022, a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Petrolina recomendou à Prefeitura Municipal a elaboração, no prazo de 90 dias, de um projeto de revitalização do Riacho Vitória, que também contribui para a drenagem da região sul de Petrolina, desaguando na margem esquerda do Rio São Francisco. Esta ação ocorreu após a instauração de inquérito civil para investigar as causas do aterramento daquele curso d’água, que está em área de preservação permanente de rio federal.

VISTORIA – Técnicos do MPPE, juntamente com o Coordenador da CCR Submédio São Francisco, o engenheiro agrônomo Lauro Bassi, e o engenheiro ambiental Lucas Kehl, da empresa Água e Solo, visitaram alguns pontos do riacho, com a finalidade de identificar os problemas de poluição apontados. O grupo também participou de reuniões com a gerência do Distrito Irrigado Nilo Coelho e com coordenadores da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

“A nossa vinda a Petrolina atende, principalmente, a demanda de análise do projeto entregue ao MPPE”, garantiu o coordenador da CCR Submédio São Francisco, Lauro Bassi. Ele ressaltou que após a visita e às reuniões, ficou claro que a situação do riacho é um problema de grandes proporções e que requer ações emergenciais, de médio a longo prazo.

Fechado para comentários

Veja também

Câmara dos Deputados aprova criação de tarifa social de água e esgoto para pessoas de baixa renda

A Câmara aprovou nesta quarta-feira (28) a criação de uma tarifa social de água e esgoto p…