Petrolina (PE): Recém-nascida morre no hospital Dom Malan/IMIP e pai desabafa: “Eles torturaram minha filha até a morte”

Mais uma denúncia de negligência médica envolvendo a morte de uma recém-nascida é registrada no Hospital Dom Malan/IMIP, em Petrolina (PE).

O pai da bebê, o frentista Joseano Rodrigues, disse que a esposa, a manicure Lucicleia Ferreira dos Santos, 36 anos de idade, fez todo o acompanhamento da gestação no postinho e no Centro de Parto Normal Maria das Dores.  Em todas as consultas do pré-natal os médicos confirmavam que a criança,  que se chamaria Geovana, estava muito saudável.

No entanto, a obstetra de Lucicleia emitiu uma relatório para ser entregue no Dom Malan/IMIP solicitando uma cesariana em virtude da gestante não ter passagem e ser diabética. Na última terça-feira (02), a manicure que estava com 38 semanas deu entrada na unidade hospitalar e entregou o documento.

Antes dela  ser encaminhada para o  bloco cirúrgico na tarde de quarta-feira (03), o esposo  chegou a comunicar novamente para a equipe médica do Dom Malan/IMIP  sobre o risco do parto normal, uma vez que os profissionais estavam induzindo.  Joseano disse que reforçou sobre as recomendações do relatório médico, mas lamenta não ter sido escutado. “Eu perguntei para um enfermeira. Calada ela estava e calada ficou.  Disse que o médico sabia o que estava fazendo”, desabafou.

Tratamento

O casal  que mora no Projeto Maria Tereza km 25 havia feito tratamento para engravidar e esperava a primeira filha.  Joseano disse que a esposa  está  muito debilitada e em estado de choque. Ela ainda está  em observação no Dom Malan.

“dói você perder um filho.  A gente ralou fazendo tratamento, o bebê estava grande, mas mataram minha filha, tiraram o sonho de uma família. Nunca pensei em trazer minha filha dentro de um caixão para dentro da minha casa.  Eles torturaram minha filha até a morte” , desabafou.

Geovana nasceu de parto Cesário após ter sido submetida a inúmeras tentativas de um parto normal falido. “Minha esposa chegou a desejar a morte de tanta dor que estava sentindo”.  A família disse que vai levar o caso para a justiça.

O hospital deve se pronunciar em nota.

(Colaboração – Ivo da Hora)

2 Comentários

  1. […] matéria intitulada “Petrolina (PE): Recém-nascida morre no hospital Dom Malan/IMIP e pai desabafa: “Eles torturaram m…”, divulgada nesta quinta-feira (04), pelo Blog Edenevaldo Alves, o hospital Dom Malan/IMIP emitiu […]

    Responder

  2. Luciana

    4 de fevereiro de 2021 em 13:01

    Mais um caso de negligência do IMIP/Dom Malan… lamentável isso… quantos bebês e quantas mães ainda terão de passar por isso? Quanta impunidade!!! Isso não deveria ser somente caso de processo, mas caso de cadeia também, por homicídio, além de ter a licença desses médicos e enfermeiros cassados também.

    Deveria haver uma lei que determinasse que os médicos e enfermeiros que fizessem isso com mãe e bebê, tivessem um valor bem alto a ser descontado por cada morte… aí sim, eles teriam mais atenção e fariam as coisas direito. Até porque gente assim não tem amor à vida, e sim ao dinheiro.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Covid-19: Ministério Público prepara carta para a CBF recomendando suspensão do futebol no Brasil

O Ministério Público vai recomendar à CBF a suspensão de todas as partidas de futebol no B…