Petrolina (PE): Em nota, advogados do Padre Carlos Júnior afirmam que “Todas as acusações e sacrilégios foram inventados por indivíduos” e que rixa foi a motivação

Padre Carlos Júnior voltará a exercer suas atividades sacerdotais na igreja. O comunicado foi feito pela Diocese de Petrolina (PE) no domingo (14). O sacerdote teve o seu nome envolvido em polêmicas como supostas imagens vazadas nas redes sociais, entre outros assuntos que levaram ao seu afastamento.

Os advogados do Padre Carlos divulgaram uma nota nessa segunda-feira (15) em que explicam o desfecho do caso. Veja:

“Por solicitação do Sacerdote Carlos Augusto a esta assessoria jurídica, considerando o Decreto da Conclusão de Investigação no bojo de procedimento canônico entre as datas de 16.11.2023 à 14.01.2024, no qual constatou-se a sua INOCÊNCIA, impende esclarecer alguns detalhes desse quadro a população desta Comarca de Petrolina (PE) e região, aos Órgãos de Imprensa e a quem interessar.

O procedimento de investigação prévia supracitado visou, conforme legislação canônica, verificar a existência de lastro mínimo de veracidade de acusações de desobediência as regras Sacerdotais, para que não ocorram constrangimentos ou levar a efeitos ataques mentirosos e maliciosos plantados (Fake News, montagem de vídeos e imagens por inteligência artificial, por exemplo).

Após intensa e abrangente investigação – sendo colhidos a participação de dezenas de pessoas, sejam leigos, religiosos, com apresentação de mais de duzentas folhas com provas e informações pela defesa do Sacerdote investigado – houve a conclusão que todas as acusações e sacrilégios foram inventados por indivíduos que gratuitamente tentam minar o Sacerdócio do Pe. Carlos, por uma rixa vil e/ou para tentar silencia-lo quanto a crimes que figurou como vítima e saírem impunes.

No momento atual, sendo finalizado o procedimento investigativo realizado no âmbito religioso, registra-se que os processos judicias já iniciados além dos inquéritos policiais e demais prestações jurídicas prosseguem com vistas a identificar a materialidade e autoria de crimes (inclusive os ocorridos em meio digital, por intermédio de perfis fakes e movimentos ilegais de propagação de fake News) e reparação de danos civis sofridos pelo Pe. Carlos e sua empresa Benedictus Arte Sacra.

Por fim, conforme exposto no Comunicado veiculado no Instagram da Diocese de Petrolina-PE (@diocesedepetrolina) , tal nota serve, para além do acima registrado, de requerimento e materialização do Direito de Reposta, Informação e Desagravo direcionados aos meios de comunicação televisivos, radiofônicos e virtuais para fazerem uso com tal finalidade.
Em tempo, referencia-se na presente o excerto das Escrituras Sagradas situado em João 16:33: ‘’ Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.’’, ao passo que deseja que o Pe. Carlos continue cada vez mais avivado e fortalecido em sua vocação sacerdotal , com a Benção de Deus.

Petrolina(PE), 15 de janeiro de 2024.

SÁTIRO FERRAZ  ARTHUR FAUSTINO
OAB/PE 32.732    OAB/PE 39.847”

Fechado para comentários

Veja também

Câmara dos Deputados aprova criação de tarifa social de água e esgoto para pessoas de baixa renda

A Câmara aprovou nesta quarta-feira (28) a criação de uma tarifa social de água e esgoto p…