Petrolina (PE): Cristina Costa afirma que poderia continuar na Câmara de Vereadores se tivesse cedido ao sistema de ir para a compra de votos e boca de urna

Após 12 anos na Câmara de Vereadores de Petrolina (PE),  Cristina Costa (PT), afirma que não se sentiu derrotada nas eleições e reforça que  a câmara não é emprego.  “Eu sou professora, tenho minha renda, vou continuar atuando”, assegurou durante entrevista ao Programa Edenevealdo Alves na Petrolina FM.

A petista diz que poderia continuar na Câmara de vereadores de Petrolina se tivesse cedido ao  sistema como  compra de votos,  troca de votos e  boca de urna. “Mas, jamais eu chegaria ali daquele jeito. Para mim derrotada seria se eu voltasse na câmara através da compra, pode ter certeza disso. Não seria eu. Eu fui procurada por muitas pessoas. Com a pandemia muita gente não saiu para fazer campanha, houve estrutura já, já maquiaram, montaram sua estrutura. Tinha gente que chegava e dizia assina a promissória, recebi  “N’s” casos. Jamais eu sentaria naquela cadeira sem ter autonomia”, afirmou.

Cristina destacou que não foi para Câmara fazer carreira política do poder para o poder, mas foi para fazer a carreira política para defender os princípios do seu partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Pesquisa revela que cerca de 4 milhões de pessoas abandonaram os estudos no País durante a pandemia

Em 2020, ano marcado pelo novo coronavírus, quarentena e interrupção de aulas presenciais,…