Pernambuco: Grupo tenta impedir procedimento em menina de 10 anos grávida após estuprada

0

A menina de 10 anos, natural do Espírito Santo, que engravidou após ter sido estuprada pelo tio chegou neste domingo (16) ao Recife para interromper a gestação, após receber o aval da Justiça do Estado de origem. Contudo, a presença da criança no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam-UPE), na zona norte da Capital, causou mobilização em frente à unidade de grupos a favor e contrários ao aborto, contrariando recomendações das autoridades sanitárias para evitar aglomeração por conta da pandemia do coronavírus.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram algumas pessoas hostilizando o médico responsável pelo procedimento e a vítima na tentativa de impedir o aborto induzido. Também é possível manifestante fazendo orações na frente da unidade do hospital. Apesar da presença de policiais militares no local, os manifestantes não se intimidaram para fazer o tumulto. Em alguns momentos houve confusão e bate boca.

De acordo com o diretor do Cisam, o obstetra Olimpio Moraes Filho, a menina chegou no fim da tarde e fez o procedimento de indução do óbito fetal. “Quando a gravidez está avançada, a gente usa uma medicação para primeiro suspender os batimentos cardíacos. Depois usamos medicamento para estimular a contração. Caso a placenta não sai inteira é feita a coletagem”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Prédios da Secretaria de Educação e duas escolas sofrem vandalismo em Juazeiro (BA)

Neste final de semana os prédios da Secretaria de Educação e Juventude – SEDUC, das escola…