Pernambuco: Estado e municípios pactuam decisão de não exigir prescrição médica para vacinar crianças

Após o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciar em suas rede sociais que o Estado não vai exigir a apresentação de prescrição médica para a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid-19, a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e secretários de saúde dos municípios pernambucanos pactuaram a decisão nesta terça-feira (28), durante reunião.

A medida também teve o aval do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação e segue o posicionamento dos conselhos nacionais de Secretários de Saúde (Conass) e de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

“É urgente vacinarmos nossas crianças e não podemos colocar nenhum empecilho para proteger esse público o mais rápido possível. Também precisamos deixar muito claro que a vacina para as crianças é segura, passou por todos os testes necessários, foi aprovada pelas principais agências regulatórias do mundo e, comprovadamente, salva vidas”, afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

A decisão de não exigir a prescrição será publicada no Diário Oficial do Estado nos próximos dias.

Em Pernambuco, a vacina contra a doença será disponibilizada para todas as crianças na faixa etária indicada e em todos os postos de vacinação organizados no Sistema Único de Saúde (SUS) segundo o Governo do Estado.

Para imunizar os pequenos, é necessário que o pai, a mãe ou os responsáveis estejam acompanhando. Também será exigido um documento de identificação oficial da criança para registro do imunizante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Torcedor do Náutico entra no estádio com teste positivo da covid-19 e é preso

Na vitória do Náutico por 3 a 0 contra o Íbis, nesta tarde de sábado (22), pelo Campeonato…