Padrasto acusado de matar criança de 2 anos em Petrolina será julgado no dia 8 de agosto

0

Foi realizada nesta sexta-feira, (21), no Fórum de Petrolina, a audiência de instrução do caso do padrasto, acusado de matar o enteado Vinicius, de apenas 2 anos e meio de idade, em abril no bairro Areia Branca.

Estudantes de direito presentes e os familiares, estavam desolados ao rever Patrick Catarino, que matou o menor Vinicius de apenas 2 anos e meio de idade.

Na audiência foram ouvidos os vizinhos que deram socorro a vítima, os médicos do Hospital Universitário, a mãe do menor, Viviane Oliveira e o réu Patrick Catarino.

O advogado do suspeito pediu a juíza do caso a transferência do preso para Belém do São Francisco, alegando que a família é carente, mas o pedido foi negado.

Patrick confessou o crime, e no decorrer da audiência, o seu advogado tentou ao máximo demonstrar ao processo que ele, em momento algum, tentou fugir de sua responsabilidade, que era uma pessoa calma, que tinha boa conduta com a criança, que nunca maltratou a companheira Viviane, que viviam juntos há 8 meses, e que está arrependido, de acordo com as declarações da família do garoto.

Patrick, falou como cometeu o ato contra o garoto até a morte, e segundo testemunhas, continuou insistindo que o menor tinha defecado na cueca, como no chão da cozinha da casa, fato considerado divergente para a médica, que explicou a juíza que tinham muitos hematomas na criança.

Os familiares de Vinicius tomaram os corredores do Fórum, revoltados.

Ao término da audiência, o réu foi pronunciado, onde o caso vai a Juri Popular, no dia 8 de agosto, às 8h, no Fórum de Petrolina, data que a criança completaria 3 anos de idade, caso tivesse viva. Sendo assim, sete jurados serão escolhidos para dizer se o réu será absolvido ou continuará preso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Relatora dá parecer favorável à PEC que prevê prisão após 2ª instância

A relatora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 410/18, que prevê a prisão do réu ap…