Pablo Marçal diz que não renunciou à candidatura e caso vai à Justiça

Após a Executiva Nacional do Pros (Partido Republicano da Ordem Social) declarar apoio à chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), o coach, empresário e influencer Pablo Marçal (Pros) afirmou hoje que não renunciou à sua candidatura à Presidência da República e sugeriu que levará o imbróglio à Justiça.

“Eu vou falar aqui, para vocês, que eu renuncio, a partir de agora, ao meu tempo de qualidade com a família, aos milhões de reais que eu estou deixando de faturar porque eu não estou conectado a negócio. Eu tenho renunciado a tantas coisas para servir a essa nação… se depender de mim, Bolsonaro e Lula nunca mais sentam naquela cadeira de presidente”, afirmou.

O acordo com o PT foi fechado em reunião entre Eurípedes Júnior, fundador e atual presidente do Pros, e a coordenação da campanha lulista. O encontro ocorreu em São Paulo, na Fundação Perseu Abramo —ligada ao PT—, na hora do almoço. Além de Eurípedes e Alckmin, participaram Aloizio Mercadante, um dos coordenadores da campanha de Lula; Felipe Espírito Santo, presidente da Fundação da Ordem Social, ligada ao Pros; e Bruno Pena, advogado do Pros.

Em viagem ao Nordeste nesta semana, Lula e a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), não participaram do encontro, mas já foram informados do resultado.

Fechado para comentários

Veja também

Santa Catarina: Estudante será indenizado em R$ 10 mil após ser revistado pela Polícia Militar em escola

Um estudante deverá ser indenizado em R$ 10 mil, com juros e correção monetária, por danos…