“O crime foi dentro de uma escola com câmeras e ninguém viu nada?”, questiona Mãe de Beatriz

7

mae

Pela primeira vez, entre quatro manifestações realizada pela população petrolinense, a mãe da garota Beatriz Angélica, Lucinha Mota, fez um desabafo, falando em público sobre a morte de sua fila, que se estivesse viva, estaria completando 8 anos de idade nesta quinta-feira (11).

Lúcia Mota, revelou que de agora em diante, encontrará forças para pedir justiça até a elucidação do caso que continua sem respostas por parte da polícia e da instituição de ensino com quase 95 anos consagrada em Petrolina. Acompanhe:

“Não podemos viver com medo, aterrorizados. E para isso, a Escola Nossa Senhora Maria Auxiliadora tem que contribuir com a elucidação dos fatos, e a polícia tem obrigação de dizer o que aconteceu. Quem são esses monstros desse crime brutal que aconteceu numa escola de tradição,  a qual confiamos deixar nossos filhos. Não foi um crime cometido em uma mata, uma rua, foi dentro de uma escola no Centro da cidade com câmeras e ninguém sabe de nada? Ninguém viu nada? Como se a pessoa tivesse descido do céu ou das profundezas do absoluto da escola e depois virado fumaça? Desaparecido sem deixar vestígios? Exigimos uma resposta. A minha família foi vítima, quem será a próxima?”, desabafou.

Sem ter qualquer suspeito até hoje, a mãe de Beatriz diz que não sabe a motivação para um crime tão brutal, revelando que não há explicações ou justificativas sobre o que aconteceu. A família também aguarda um pronunciamento do Ministério Público Estadual sobre o caso.

7 Comentários

  1. wania bento

    13 de fevereiro de 2016 em 07:34

    Força mãe, Deus vai te ajudar a encontrar esse animal selvagem que vitimou sua linda Beatriz. Confie no Senhor Jesus ele fará justiça à essa barbaridade. Fé e confiança

    Responder

  2. maria

    13 de fevereiro de 2016 em 16:26

    Se a polícia quiser descobre em instantes.Claro que foi gente da comunidade escolar,talvez com raiva do professor pai da criança.As investigações devem começar por aí e a Escola deve escancarar as portas para todas as investigações. Tá com medo de quer?

    Responder

  3. maria

    13 de fevereiro de 2016 em 16:27

    Se a polícia quiser descobre em instantes.Claro que foi gente da comunidade escolar,talvez com raiva do professor pai da criança.As investigações devem começar por aí e a Escola deve escancarar as portas para todas as investigações. Tá com medo de quer? E é a primeira vez que estou postando esse comentário.

    Responder

  4. Somos todos Beatriz

    14 de fevereiro de 2016 em 12:44

    Queremos uma resposta das autoridades Responsáveis.
    Esse crime não pode continuar assim.

    Responder

  5. leide

    15 de fevereiro de 2016 em 08:09

    É inaceitável que depois de tanto tempo não tenhamos ainda uma resposta.
    mais vamos lutar até conseguirmos , nunca será esquecido esse crime bárbaro e só pararemos de lutar depois que esse monstro for preso , julgado e condenado!
    somostodosbeatriz e seremos até o fim !

    Responder

  6. Rayra

    15 de fevereiro de 2016 em 19:53

    Queremos respostas, vamos apoiar a família,Somos todos Beatriz

    Responder

  7. Larissa

    17 de fevereiro de 2016 em 17:43

    … esse assassino tiver quem o proteja vai ficar difícil resolver o caso.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Julio Lossio Filho descarta possibilidade de ser articulador da oposição na Câmara e afirma que esse papel é dos vereadores eleitos

Questionado se seria o articulador da oposição na Câmara Plínio Amorim, em Petrolina (PE),…