Nova lei garante a contratação de professores quilombolas em territórios de Pernambuco

Na véspera do dia 13 de maio, quando se celebra o Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo, o Governo de Pernambuco sancionou, nesta quinta-feira (12), a lei que autoriza a contratação de professores de educação escolar quilombola.

O documento foi assinado pelo governador Paulo Câmara durante solenidade no Palácio do Campo das Princesas, no Recife, e contou com a presença de representantes do movimento negro e quilombola, além de deputados estaduais e secretários de governo.

“É um lei importante para a educação pública de Pernambuco, onde estamos abrindo a possibilidade de contratações de professores para atuar dentro das comunidades quilombolas e fazer todo esse trabalho. Um trabalho que envolve a educação, a cultura, as tradições e o olhar para o futuro”, afirmou Paulo Câmara, que completou:”Pernambuco tem essa característica de preservar as suas origens e ao mesmo valorizar políticas públicas que cheguem a todos”.

“A comunidade quilombola, assim como as comunidades indígenas, estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia, com escolas vocacionadas para manter as tradições e ao mesmo tempo oferecer educação de qualidade, como hoje já é permitido na educação indígena”, discursou.

“É um passo importante e agora vai caber à Secretaria de Educação e Esportes se juntar com a comunidade e executar os próximos passos, que são a contratação dos professores, temos que preparar os editais, e a melhoria das nossas escolas para que elas possam também estar conectadas e atendendo aos anseios das comunidades quilombolas”, explicou.

A nova legislação, que deve ser publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (13), prevê a contratação de professores quilombolas por tempo determinado. Segundo o governo, a estimativa é de que aproximadamente 2,5 mil estudantes, de diversas comunidades no Estado, sejam beneficiados.

De acordo com o secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Marcelo Barros, o Estado possui 196 territórios quilombolas certificados, e o edital para a contratação dos profissionais deve ser finalizado nos próximos três meses.

“A gente vai construir junto ao movimento quilombola um edital porque é uma contratação simplificada. A gente espera nos próximos 90 dias construir este edital para poder fazer o processo seletivo”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Só 30% dos jovens até 24 anos tomaram 3ª dose de vacina contra Covid no Brasil

O Brasil patina no processo para conseguir imunizar a sua população acima de 18 anos com a…