Municípios de Pernambuco mantêm intervalo de 60 dias entre doses da vacina da AstraZeneca

O Ministério da Saúde (MS) voltou a recomendar que o intervalo entre a primeira e a segunda aplicação da vacina AstraZeneca seja de 90 dias. De acordo com a pasta, a decisão foi tomada após reunião do grupo técnico que assessora o Programa Nacional de Imunizações (PNI) e deve constar em documento técnico a ser enviado aos estados e municípios nos próximos dias.

Nas últimas semanas, houve divergências entre as recomendações nos âmbitos federal e estaduais. Diferentes locais do país autorizaram a antecipação da segunda dose do imunizante após 60 dias da primeira aplicação. Os estados argumentam que a medida pretende aumentar a proteção contra possíveis novas variantes, a exemplo da Delta, já em circulação no Brasil.

De acordo com a bula do imunizante, disponível no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina pode ser administrada com intervalo de 4 a 12 semanas entre as doses e níveis de eficácia que progridem ao decorrer do tempo. A médica infectologista Sylvia Lemos Hinrichsen, integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), avalia que ainda não é possível definir com certeza se haverá ou não consequências em relação ao intervalo entre as aplicações.

“Ainda são muito controversas as evidências de antecipar vacinas nesse momento da Covid. Vamos ter que precisar esperar o tempo da ciência para que a gente possa ver as publicações, mostrando o que deveremos fazer no presente e no futuro, principalmente no futuro”, disse. “As vacinas foram planejadas para serem feitas de acordo com o que foi pré-estabelecido e, qualquer que seja a modificação, teremos que aguardar, não só as publicações, o próprio tempo da ciência, mas também os consensos das autoridades, não só nacionais, como também mundiais. Enquanto isso, a melhor vacina é aquela que chega primeiro no seu braço”, completou.

Aplicação em Pernambuco

Em Pernambuco, os municípios têm a possibilidade de finalizar o esquema vacinal da AstraZeneca entre 60 e 90 dias, após a primeira dose. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), a decisão foi validada pelo Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação contra a Covid-19, a partir da análise de dados científicos, e pactuada entre o Estado e os municípios em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Em nota, o órgão reforça, ainda, que as cidades que anteciparem o prazo para a segunda aplicação devem utilizar apenas as doses já destinadas para esta fase.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Juazeirense perde para o Santos no jogo de ida da Copa do Brasil

O Santos goleou a Juazeirense por 4 a 0 na Vila Belmiro nesta noite (28), pelo jogo de ida…