Ministério Público lança projeto para capacitar mediadores de conflitos em escolas de Petrolina (PE)

As 1ª, 3ª e 5ª Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania de Petrolina, em parceria com o Núcleo Permanente de Incentivo à Autocomposição do Ministério Público de Pernambuco (Nupia-MPPE), lançaram o projeto Transformar junto a três escolas municipais: Santa Terezinha, Paulo Freire e José Nunes. O propósito é formar e acompanhar mediadores de conflitos em escolas para contribuir com a difusão e consolidação de uma cultura de paz e resolução consensual dos conflitos.

O projeto nasceu do interesse em desenvolver um trabalho de autocomposição no município e das diretrizes inicialmente indicadas no projeto-piloto Escola Restaurativa, também idealizado pelo MPPE em Petrolina.

Assim, desde o último dia 11, já ocorre um curso on-line para alunos, professores e gestores das escolas, visando capacitá-los para a mediar enfrentamentos, resgatar vínculos e construir relacionamentos mais saudáveis, contribuindo para evitar o agravamento e o surgimento de outros conflitos.

Os encontros têm a duração de quatro horas cada, seguindo uma metodologia participativa, com espaço para fala e troca de experiências, para construção coletiva do conhecimento. Após o curso, haverá um encontro de supervisão (no formato virtual) com cada turma, para o acompanhamento das atividades.

As atividades desenvolvidas nas escolas serão enviadas mensalmente às Promotorias de Justiça participantes e ao Nupia, para avaliação. Os mediadores das escolas e as promotoras de Justiça à frente do projeto, Ana Cláudia Carvalho, Rosane Cavalcanti e Tanúsia Santana, identificarão juntos situações nas quais serão necessários encaminhamentos para intervenção do Ministério Público e/ou para outras instituições da rede de atendimento.

“Desenvolver este projeto nas escolas, significa reconhecê-las enquanto espaços privilegiados de convivência com a diversidade, muitas vezes permeada por conflitos e violências em suas mais diferentes expressões. Trabalhar a cultura de paz e refletir sobre as possibilidades de construção de novas formas de interagir com o outro, com ênfase no diálogo e respeito, contribuirá para construção de uma nova realidade. Por sua vez, ampliar o uso da mediação nas Promotorias de Justiça propiciará atender as recomendações do Conselho Nacional do Ministério Público e o alcance cada vez maior da eficácia de sua atuação”, alega a justificativa do projeto Transformar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Salgueiro (PE): Homem é autuado pelo porte de 90 comprimidos de “rebite” na BR-116

Um homem que portava 90 comprimidos de “rebite” foi autuado, na terça-feira (5), na BR 116…