Ministério Público dá prazo de cinco dias à Prefeitura de Juazeiro (BA) para esclarecer manutenção da estátua de Daniel Alves

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) solicitou esclarecimentos à prefeitura de Juazeiro a respeito da instalação de uma estátua do ex-jogador de futebol Daniel Alves. O MP estabeleceu um prazo de cinco dias para que a administração municipal responda à solicitação. Daniel Alves, nascido em Juazeiro (BA), foi condenado pela justiça espanhola a quatro anos e meio de prisão por estupro ocorrido em uma boate de luxo em Barcelona.

O MP da Bahia já havia encaminhado um pedido à Justiça solicitando a remoção da estátua. Em nota divulgada em março, o MP informou que o Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (CAODH) recebeu uma manifestação de Manuella Tyler Medrado, militante pelos direitos humanos e moradora do município, e encaminhou o caso para análise pela Promotoria de Justiça de Juazeiro.

A estátua em homenagem a Daniel Alves foi inaugurada na cidade em dezembro de 2020, cerca de um ano antes de sua prisão. Desde então, os moradores têm solicitado a retirada da obra.

Em setembro de 2023, a estátua foi alvo de vandalismo, sendo coberta com sacos pretos e fita adesiva, enquanto o ex-jogador aguardava julgamento na prisão em Barcelona. Em fevereiro, a estátua foi coberta com tinta branca. No Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, cerca de 60 manifestantes exibiram cartazes destacando a importância da conscientização sobre os direitos das mulheres.

Em resposta às manifestações, a prefeitura afirmou que “repudia qualquer tipo de violência”, mas que não intervirá na estátua até que o processo judicial contra Daniel Alves seja concluído.

A obra, produzida pelo artista plástico Leo Santana, retrata o jogador em tamanho real, vestindo a camisa da Seleção Brasileira e segurando uma bola nos pés.

A Justiça da Catalunha, na Espanha, anunciou que rejeitou os recursos contra a liberdade condicional de Daniel Alves, libertado da prisão em 25 de março após cumprir 14 meses de sua condenação.

Alves pagou uma fiança de um milhão de euros enquanto aguarda o julgamento dos recursos contra sua condenação.

Com informações de O Globo.

Fechado para comentários

Veja também

Duas carretas com 20 toneladas de carga sem nota fiscal são retidas pela PRF em Garanhuns

Duas carretas que transportavam cerca de 20 toneladas de confecção sem a documentação fisc…