Miguel participa de primeiro ato público em Petrolina (PE) após renúncia e defende hospital regional para o São Francisco

15 dias após se despedir do cargo de prefeito, o pré-candidato a governador Miguel Coelho participou de um ato público em Petrolina (PE). O gestor acompanhou, na quinta (14), o prefeito Simão Durando na inauguração de uma escola no bairro Mandacaru. O ato teve também a participação do senador Fernando Bezerra e dos deputados federal Fernando Filho e estadual Antonio Coelho.

Foi a primeira vez que Miguel participou de um ato público na sua cidade após a renúncia. O pré-candidato a governador aproveitou a ocasião para falar sobre algumas de suas propostas para o Sertão do São Francisco, dentre elas, a construção de um hospital regional. “Quero firmar um compromisso. Todas as regiões pernambucanas tem um hospital regional, menos aqui. Vou colocar em nosso programa de governo e, se Deus permitir a oportunidade, vamos tirar do papel o hospital regional de Petrolina, bem equipado e humanizado.”

Miguel também falou sobre esgotamento sanitário. O pré-candidato disse que pretende apresentar propostas para deixar Petrolina como o município mais saneado do Nordeste. “Comparado a Pernambuco, Petrolina está muito bem em saneamento. Mas todos aqui sabem o calo que é esse serviço. São mais de 7 milhões de pernambucanos que vivem no esgoto. Eu saí da prefeitura para me apresentar para resolver esse problema e quero fazer o pacto de tornar Petrolina a cidade mais saneada de todo o Nordeste”, afirmou Miguel.

Por fim, Miguel criticou o PSB por não honrar os repasses financeiros para os municípios. “Na saúde, desde 2012, não pagam o que é de direito de Petrolina. Ficam apontando o dedo e terceirizando responsabilidades. Essa falta de compromisso se repete em várias cidades”, lembrou o ex-prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Chuvas deixam ao menos 30 mortos no Grande Recife, diz Defesa Civil

A Defesa Civil de Pernambuco disse, neste sábado (28), que ao menos 30 pessoas já morreram…