Mauro Cid é afastado do Exército, mas mantém salário de R$ 27 mil

O tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), está afastado de suas funções no Exército. Contudo, mantém seu salário de R$ 27 mil, conforme previsto em lei.

O afastamento das funções se deu após decisão decisão judicial expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no último domingo (10).

Cid recebe, de acordo com dados de julho do Portal da Transparência, um total de R$ 27 mil mensais de remuneração bruta. Com as deduções de imposto de renda retido na fonte (IRRF), pensão militar e fundo de saúde, esse valor é de R$ 17,6 mil.

A lei referente as pensões militares, de nº 3.765/1960, prescreve, entre outros, que o militar não deixe de receber o valor mensal, a menos que seja expulso ou alvo de uma decisão judicial que lhe dite o contrário, como foi o caso do ex-ministro e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, e do coronel da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Jorge Eduardo Naime. (Metrópoles)

Fechado para comentários

Veja também

Homem é encontrado morto na jaula dos tigres em zoológico do Paquistão

Funcionários do Zoológico Sherbagh, em Bahawalpur, na província oriental de Punjab (comuni…