Maré vermelha: sobe para 338 o total de suspeitas de intoxicação em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou mais 60 casos suspeitos de intoxicação por algas em Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco. O fenômeno conhecido como “maré vermelha” ou tingui já tem 338 notificações de possíveis casos registradas este ano. O problema tem causado intoxicação em banhistas e surfistas.

De acordo com a SES-PE, os novos casos foram registrados pela Secretaria de Saúde de Tamandaré entre os dias 31 de janeiro e 4 de fevereiro. Todas as suspeitas serão analisadas para confirmação ou descarte do quadro de maré vermelha.

Além de Tamandaré, casos suspeitos de maré vermelha foram identificados na praia de Maracaípe, em Ipojuca, no Litoral Sul do Estado. O Litoral Norte de Alagoas também tem suspeitas notificadas.

O tingui é causado quando há um acúmulo de microalgas, que quando recebem cargas excessivas de nutrientes formam grandes populações e, durante seu metabolismo, liberam toxinas que ficam na água e, às vezes, vão até para a atmosfera, podendo ser inaladas por quem está na parte costeira.

Os sintomas relatados em quadros suspeitos são:

– Cefaleia (dor de cabeça);
– mal-estar.
– dor no corpo;
– náusea;
– dor abdominal;
– vômitos;
– irritação ocular;
– irritação de garganta
– irritação nasal;
– irritação de pele.

Até o momento, não há recomendação da SES-PE sobre evitar banho de mar ou consumo de crustáceos e peixes nos locais com registros de casos suspeitos.

É preciso, no entanto, ficar atento ao odor e à coloração da água do mar, que podem sinalizar novos episódios de maré vermelha. Nesses casos, o banhista deve evitar se aproximar dos locais afetados. (Folha PE)

Fechado para comentários

Veja também

Uber libera função Adolescentes para todo o Brasil; saiba como configurar o recurso

Desenvolvido para possibilitar o uso do aplicativo de mobilidade da Uber por adolescentes …