Maia rebate Temer e diz que haverá quórum para votar denúncia na quarta-feira (2)

0

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), rebateu em tom crítico a avaliação do presidente Michel Temer (PMDB) de que não haverá quórum para votar a denúncia na semana que vem.

“Na minha opinião, haverá quórum”, disse. “O Brasil precisa de uma definição sobre esse assunto e não se pode, do meu ponto de vista, respeitando a opinião de cada um, se jogar com um assunto tão grave como uma denúncia oferecida pela PGR contra o presidente da República”, afirmou após almoçar com o prefeito de São Paulo em exercício, Milton Leite (DEM).

“Nosso papel é votar. Quem quiser vota sim, quem quiser vota não. Mas não votar é manter o país parado.”

Maia negou que tenha traçado estratégias no jantar na véspera com Temer no Palácio do Jaburu.

VEJA COMO SERÁ A SESSÃO NA CÂMARA

– A sessão está marcada para 2 de agosto, volta do recesso parlamentar, às 9h

– Para iniciar as discussões, 52 dos 513 deputados devem registrar presença no plenário

– Nos primeiros 25 minutos, fala o deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), relator do parecer favorável a Temer, aprovado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça)

– Pelo mesmo tempo falam Michel Temer ou seus advogados

– Deputados que se inscreverem podem falar por até cinco minutos cada

– A fase de votação começa com a presença em plenário de 342 deputados. Primeiro, falam dois oradores de cada lado e os líderes partidários para orientar o voto

– Depois, os parlamentares são chamados em ordem alfabética, por Estado, em voto aberto

– Para proclamar o resultado, são necessários pelo menos 342 votantes. Se o número não for atingido, é convocada sessão para nova votação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Amor e ódio serão discutidos na 6ª Jornada de Estudos em Psicanálise da Univasf

Com o tema “Amor, ódio e indignação em tempos de cólera”, a VI Jornada de Estudos em Psica…