HGU Saúde anuncia ações de preparação para o possível pico de incidência do Coronavírus no Vale do São Francisco

0

A Pandemia do Novo Coronavírus se instalou no Brasil há um mês e desde então a população vive em estado constante alerta e cuidado para minimizar a sua proliferação. Em todo o país já são contabilizados mais de 4 mil casos confirmados e, segundo o Ministério da Saúde, o pico da Covid – 19 será a partir do mês de abril.

Com dois casos de Covid – 19 confirmados em Petrolina, ainda não há indícios de transmissão comunitária do vírus, mas os hospitais da região já se preparam para uma incidência maior. O Hospital Geral e Urgências (HGU), já se antecipou à situação e desenvolve ações para atender os usuários que venham a buscar atendimento no hospital.

Segundo o Diretor Médico do HGU, Dr. Dilson Pereira, atualmente a região vive o pico da Influenza e Dengue, enquanto a maior ocorrência do Novo Coronavírus na região do Vale do São Francisco deve acontecer provavelmente, em maio. “O HGU está se preparando com 30 dias de antecedência para a chegada do pico. Ainda não existiu um caso na região de transmissão comunitária do Coronavírus, mas mesmo assim as pessoas estão consumindo EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) desnecessariamente e, dessa maneira, faltará no pico do Covid-19”, alerta Dr. Dilson.

Para evitar a falta de EPIs no período do pico da doença, é preciso que a população se conscientize de que este tipo de material deve ser utilizado somente em ambiente hospitalar ou por quem está com sintomas de gripe.

Acompanhe as ações que o HGU está desenvolvendo visando o pico Covid – 19 na região:

1) Criação de um pronto-atendimento exclusivo para queixas respiratórias, evitando assim que pacientes com esse tipo de queixas tenha contato com pacientes com queixas cardiológicos, abdominais, ortopédicas etc. Esse pronto-atendimento possui equipes distintas (recepção, enfermagem e médico) do Pronto-socorro;

2) Criação de uma UTI exclusiva para pacientes com Covid-19 ou Influenza (H1N1); ou seja, aumento em 30% no número de leitos da UTI;

3) Aquisição de ventiladores/respiradores para equipar a nova UTI respiratória;

4) Suspensão temporária das férias de todos os funcionários;

5) Aquisição de EPIs específicos para garantir a segurança dos profissionais que cuidam dos pacientes com Covid-19 ou Influenza;

6) Suspensão por tempo indeterminado das cirurgias eletivas. Permanece ainda o agendamento das cirurgias Oncológicas, obstétrica e de urgência/emergência;

7) Investimento em capacitação continuada para as equipes assistenciais;

8) Redefinição de Fluxos hospitalares;

9) Remanejamento dos consultórios existentes no Hospital HGU para o CENPRE;

10) Redução no número de agendamentos de atendimentos;

11) Aumento do estoque de medicamentos e EPIs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também