Fila do Auxílio Brasil mais que dobra em dois meses e chega a 1,569 milhão de famílias

A fila de espera do programa Auxílio Brasil chegou a 1.568.728 famílias em julho, e mais que dobrou em dois meses: o aumento foi de 105%, ou 803.930 famílias, sobre o tamanho da espera do benefício social-democrata em maio. O Rio e o estado em que tem a maior fila, segundos dados oficiais obtidos pelo GLOBO pela Lei de Acesso à Informação (LAI).

De acordo com estes dados o Rio tem 251.304 famílias aguardando para serem incluídas no programa. São Paulo vem na sequência, com 201.444 famílias esperando. A Bahia tem 172.353 famílias na fila. Em Pernambuco, são 136.665 famílias esperando e no Pará, 105.140. Estes são o cinco estados com mais pessoas que já poderiam estar incluídas no Auxílio Brasil.

Estas pessoas da fila atendiam aos critérios para receber o benefício, mas não estavam na ação de transferência de renda por restrição orçamentária. A maioria, quase 91%, é de famílias extremamente pobres, o que significa que possuem renda mensal inferior a R$ 105 por pessoa.

Essas famílias vão integrar o programa a partir de agosto, por causa da promulgação da PEC Eleitoral, que instituiu um estado de emergência que permitiu ampliar o programa, driblando regras fiscais e eleitorais, e garantia a inclusão de quem estivesse na fila até essa data, limitado a um orçamento de R$ 26 bilhões.

Além da ampliação, o benefício aumentará dos atuais R$ 400 para R$ 600. Essas medidas, no entanto, só valem até o dia 31 de dezembro.

Fechado para comentários

Veja também

Tribunal de Contas  aprova, com recomendações, contas da Secretaria de Saúde da Bahia

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) aprovou prestação de contas da Secretaria…