Exigências do Governo de Pernambuco para retomada de eventos dificulta vida de produtores culturais, afirma empresário

O empresário Osvaldo Marley disse durante o Programa Edenevaldo Alves (Petrolina FM),  que as  exigências feitas pelo  Governo de Pernambuco para a retomada dos  eventos  dificulta  ainda mais a vida do produtor em virtude do alto custo para arcar com as  despesas extras solicitadas, conforme consta no “Protocolo Setorial Eventos-Teste”.

Ele disse que o ‘Selo Passe Seguro PE’, por exemplo, que é uma ferramenta exigida pelo Governo, e que  gera uma certificação digital para acesso seguro e rápido do público ao evento, tem custo alto que será pago pelo  produtor.

 “Para ter o selo você tem que ter uma empresa de startup, só pra você ter ideia a empresa cobra R$ 10 reais por ingresso emitido. Então, pra você colocar 1.200 pessoas você precisa pagar R$ 12 mil com a empresa de startup que é a empresa que vai passar pro governo do estado a verificação de que todas as pessoas que estão dentro do evento estão com as duas doses da vacina”, afirmou Osvaldinho da Sucesso Promoções.

 O empresário  disse que o produtor também tem que arcar com os gastos pós-evento, pois 10% do público, que equivale a  120 pessoas terão que realizar o teste da covid-19. “O  teste é caro, o governo não disponibiliza o teste, então já é outro custo para o produtor. Ter que comprar 120 teste e testar em 120 pessoas”, lamentou.

Osvaldo  disse que na Bahia o decreto é mais flexível e mais fácil. “É mais fácil fazer na Bahia com mil pessoas do que fazer em Pernambuco. O  governo de Pernambuco dificultou muito a vida do produtor porque o custo é muito alto para realizar um evento e ainda tendo essas despesas extras dificulta demais”, assegurou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Pernambuco notifica mais 1.023 casos e 14 mortes por Covid-19

Pernambuco registrou, nesta sexta-feira (24), mais 1.023 casos de Covid-19, segundo balanç…